Quântica cresce ao lado do marketing direto

0
2

A Quântica Comunicação e Marketing, empresa que oferece soluções para o melhorar o relacionamento com o consumidor, se especializa em marketing direto, mercado que cresce em larga escala desde final da década de 90. No Brasil, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Marketing Direto (Abemd), o volume de vendas no segmento atingiu a cifra de US$ 12,2 bi em 2000, com um crescimento de 27% em relação ao ano anterior.

Fundada por Ana Luiza Feres em 1998, a Quântica conta com 30 funcionários e atingiu faturamento de R$ 500 mil no ano passado. O crescimento de 99 para 2000 foi de 120% e a expectativa para 2001 é crescer 100%.

A companhia atua coordenando pesquisas de mercado, pesquisa de satisfação do cliente, relacionamento com prospects e clientes, atualização, segmentação e classificação de mailing. E, ainda, produção, manuseio e emissão de malas diretas, agendamento de visitas e criação e distribuição de brindes, entre outras atividades. Mantém parcerias com a IBM, Microservice Tecnologia Digital, Intranscol – gerenciamento de resíduos, Editora Abril e 3Com Informática.

Para Ana Luiza a globalização da economia e a conseqüente entrada das grandes redes de varejo estrangeiras forçaram empresas brasileiras a buscar soluções imediatas para continuar disputando o mercado, nesse casso a terceirização do marketing direto é uma solução eficaz para empresas de médio e grande porte.

Para o trabalho de marketing direto dar resultado, é importante uma parceria total com o cliente. Poucas pessoas que ligam para o SAC imaginam que aquele serviço é terceirizado, comenta.

De acordo com uma pesquisa da Abemd, 84% das pessoas consideram o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) um motivo forte na escolha de um produto e 64% dos entrevistados que recorreram ao ele para resolver problemas, voltaram a consumir o produto. Daí a importância do investimento em treinamento da equipe de telemarketing, televendas, agendamento de visitas, e outros.

Dados da Abemd traçam o prefil do consumidor dividindo-os em segmentos de ações de vendas. Nas operações de televendas de produtos, por exemplo, houve um crescimento de 25% em relação a 99, atingindo US$ 7,5 bilhões. Nesta medição são incluídos comerciais em TV com resposta direta, televendas em varejo via TV e jornais, além de campanhas de marketing direto para venda de produtos. Nesses casos, somente o telefone é oferecido para efetuar pedidos.