Que venha 2012!

0
5

Autora: Cíntia Bortotto
Mais um ano chega para reiniciarmos as nossas rotinas. Neste momento especial é sempre importante fazermos um balanço do ano anterior. O principal ponto a se considerar para uma análise sobre o quão bom foi o ano em termos de carreira é a resposta à pergunta: eu aprendi? Este conhecimento pode ser aplicado em termos práticos no que eu faço? Se a reposta for sim, podemos considerar um ano positivo. Mas temos outras perguntas complementares:
As pessoas sabem que o meu aprendizado pode agregar valor ao negócio?
– As pessoas percebem que ainda tenho espaço em termos de carreira para percorrer? (tanto lateralmente como verticalmente)
– Assumi outras responsabilidades diferentes das quais iniciei o ano?
– Investi tempo no meu capital de relacionamento?
– Trouxe inovações por meio de um olhar crítico ao que o mercado vem fazendo?
– Superei ou minimamente atingi minhas metas?
Se você respondeu sim a estas perguntas, principalmente à primeira, você deve considerar 2011 como um ano positivo em termos de carreira e, se uma promoção ou um aumento ainda não veio, você está no caminho certo para que isto possa acontecer.
DICAS PARA 2012 – Se seu ano profissional não foi assim tão bom e você acha que o mundo é quem tem que mudar, má notícia: dificilmente isso irá acontecer. No entanto, se você considerar que tem toda a capacidade e poder para mudar você mesmo, as coisas podem melhorar muito. Mudando a forma como você se relaciona com o mundo, o mundo muda.
Para planejar seu ano profissional de 2012 dou as seguintes dicas, comece fazendo um planejamento da sua área. Dedique-se cumprir as metas até setembro, sempre ocorrem imprevistos e se você se planejar assim evitará a correria do final do ano e terá mais tempo para se dedicar na superação das metas. Deixe espaços livres na agenda para relacionamentos, tendências e inovações. Invista em você, tanto em termos de conhecimento como em termos de atitude. Aqui vão as sete atitudes para fazer com que seu ano profissional seja excelente:
1. Se eu não aprendi, vou aproveitar o mês de janeiro para me inscrever em um curso, formação, idioma, seja qual for a necessidade. Normalmente, o principal obstáculo para continuar o aprendizado somos nós mesmos. Nós vamos nos deixando em segundo plano e, quando vemos, o tempo passou… Portanto, faça a inscrição;
2. Se as pessoas não sabem o que posso fazer em prol do negócio, devo investir em tempo e processos de comunicação. Devo, de maneira despretensiosa, falar sobre o que eu sei, o que aprendi, o que considero que tenho condições de assumir em termos de responsabilidade;
3. Tratar do comportamento é o principal aspecto para aumentar seu potencial de crescimento. Para que as pessoas percebam que ainda tenho espaço em termos de carreira, elas devem observar: maturidade, conhecimento, capacidade de assumir riscos, capacidade de tomar decisões, liderança e facilidade de relacionamento com pares, superiores, subordinados;
4. Posso demonstrar que estou disposto a assumir novas responsabilidades, demonstrar que quero continuar crescendo, seja verticalmente, seja lateralmente. Hoje, a tendência é se ter um crescimento vertical depois de um lateral;
5. Investir no meu capital de relacionamento definitivamente é uma boa atitude para 2012. É importante reservar pelo menos um almoço da semana para conversar com outras pessoas, seja de outras áreas ou de outras empresas, saber o que estão fazendo, pesquisar tendências ou boas práticas. O capital de relacionamento é uma arma poderosa;
6. Depois que eu investir em saber como anda o mercado, seja por meio de atualizações, ou de outras pessoas com meu networking, posso fazer uma análise crítica e uma proposição inovadora para a minha empresa. Desafiar a mim mesmo neste tipo de proposição pode ser excelente;
7. Conheci um diretor que dizia: “O importante não é ser o rei das metas, mas sim o rei dos resultados”. Esta é uma frase fantástica para quando você for preparar suas metas de 2012.
Planeje metas atingíveis e superáveis. Não queira mostrar toda a sua capacidade na confecção da meta. Mostre na entrega de resultados. Não estou dizendo para traçar metas fáceis, mas não trace algo impossível. Portanto, seja o rei do resultado, não da meta.