Risco zero no relacionamento com cliente

0
13
Autor: Luiz Santos
Em tempos de incertezas relacionadas à gestão econômica, sempre surgem dilemas como: “reduzir custos x manter e melhorar a eficiência”, ou o já batido: “fazer mais com menos”. Com as mudanças no mundo dos negócios, as corporações se deparam com o gerenciamento de demandas e portfolios que geram a necessidade da aplicação da Gestão de Projetos, devido ao viés de aplicação eficiente dos recursos disponibilizados, prazos, custos, escopo e qualidade.
Diante deste cenário, também não é incomum a busca por estratégias que apoiem nas decisões. Algumas como a do benchmarking que precisam ser combinadas com outras técnicas para o sucesso da atividade, é aí que surge perguntas como: Qual a melhor estratégia? Sem dúvida aquela que buscar conciliar os interesses dos stakeholders, com análises profundas e adequadas para a tomada de decisão, agregando valor aos produtos por meio de inovações e atendendo as reais necessidades dos clientes.
Um exemplo é a metodologia Lean Six Sigma, que é uma estratégia gerencial disciplinada e altamente quantitativa, focada em aumentar drasticamente a lucratividade das empresas por meio da melhoria da qualidade de produtos e processos e do aumento da satisfação de clientes e consumidores. 
A junção das técnicas de Gerenciamento de Projetos com o Seis Sigma pode e deve ser usado por qualquer tipo de empresa, já que o programa é uma estratégia gerencial para a melhoria da performance do negócio, o que representa uma necessidade de toda organização.
 
O resultado da incorporação no Gerenciamento de Projetos da metodologia Seis Sigma tem por objetivo gerar um ganho expressivo na lucratividade (através da redução de custos) e na redução de defeitos (através da melhoria dos produtos, diminuição do tempo de ciclo e otimização de estoques). 
 
A base teórica de sustentação da junção do guia PMBOK com a metodologia Seis Sigma se encontra na influência dos seguintes fatores:
– Orientação estratégica (a partir do PDCA);
– Alinhamento estratégico;
– Medição e gerenciamento do desempenho organizacional;
– Utilização de estatística (pensamento estatístico);
– Capacitação/especialização de pessoas;
– Implementação e gerenciamento de projetos;
– Utilização de tecnologia de informação.
Enfim, a Gestão de Projetos & Seis Sigma associadas propicia a incorporação das boas práticas de gestão de projetos ao Seis Sigma, previsibilidade e controle. Com base nessas práticas riscos poderão ser identificados antes mesmo que possam comprometer prazos, agilizando a aplicação de ações corretivas para manter o projeto dentro do seu planejamento.
 
Essa é uma solução que já está disponível ao mercado e avança diante da necessidade de minimizar erros numa área que necessita de rápida solução com erro zero.
Pensem nisso!
Luiz Santos é gerente de projetos da Vector Contact Center.