Telexpo 2005 discute relações de consumo

0
1

A Telexpo 2005, cujo conteúdo foi apresentado em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, vai sacudir o mercado de soluções convergentes — aquelas que reúnem, num único pacote, os mais avançados recursos de TI (Tecnologia da Informação) e telecomunicações. Quem promete é Lígia Amorim, no Brasil, principal executiva da Advanstar, empresa responsável pela promoção daquele que já é o maior evento de telecom na América Latina.

Outra marca da Telexpo 2005, no que diz respeito aos temas, é a sintonia perfeita com os interesses dos diversos segmentos que compõem o setor. Isso se reflete na grade do congresso, que prevê um total de 170 sessões, entre conferências e painéis, garante Rui Campos. Na qualidade de diretor de tecnologia da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), entidade que apóia o evento, é ele quem responde pela definição do temário, ouvidos os diversos representantes das comunidades de TI e telecom.

A sessões, segundo o empresário, levam em conta os três grandes vetores do crescimento registrado pelas indústrias de TI e telecom em 2004: a disseminação da banda larga, que fechou o ano com 1,9 milhão de acessos e deve chegar aos 3,5 milhões em 2005; a maior popularidade da Internet, à qual já estão ligados mais de 20 milhões de brasileiros; e o sucesso da telefonia celular, que, em dezembro, superava a marca de 60 milhões de linhas, desmentindo a previsão de 55 milhões, feita pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

“Esses três fatores, com toda a certeza, contribuíram bastante para que, no ano passado, o setor de telecomunicações apresentasse crescimento, real (descontada a inflação) de 33%, contabilizando receita de R$ 13 bilhões, recebendo, portanto, uma abordagem mais profunda na Telexpo 2005”, reforçou Ruy Coimbra, presidente da Abinee. Para este ano, a entidade projeta receita de R$ 16,6 bilhões — 26% maior em relação ao exercício passado.

Espaço privilegiado
Mas a grande novidade que a Telexpo promete para este ano, é a criação, com o aval do ICCM (International Contact Center Management), de espaço privilegiado para discussão das relações de consumo e tudo aquilo que o conceito pressupõe: as melhores práticas, no que diz respeito a marketing de relacionamento, a serem debatidas no congresso, e a vanguarda tecnológica, incorporada a soluções de última geração expostas na feira.

“É cada vez mais importante, para empresas de produtos e serviços, saber como pensa e o que quer o cliente, de modo a atendê-lo, agradá-lo, retê-lo e fidelizá-lo. Mas, principalmente, antecipar-se às demandas de consumo e andar adiante da concorrência, o que é fundamental, na economia que se caracteriza pela concorrência. O espaço que a Advanstar e o ICCM abrem na Telexpo 2005 considera tudo isso”, explica Lígia.

O resultado das discussões, diz ela, vai orientar a definição da grade do seminário que a Advanstar e o ICCM vão promover no segundo semestre, em Las Vegas, para aprofundar questões relativas a marketing de relacionamento. O apelo serão os cases internacionais. Um deles é o de um grande site de e-commerce que, via web call center, vende desde CDs até aviões, passando pelos iates.

No Expo Center Norte, de 1 a 4 de março, a Telexpo 2005 deve reunir empresas que, juntas, ajudam a compor 80% do PIB (Produto Intrno Bruto) do setor. O número de vistantes promete passar de 45 mil, enquanto a expectativa em termos de participantes do seminário é de 1.500 a 1.900. Os trabalhos de montagem e desmontagem do evento devem empregar, direta e indiretamente, cerca de 5 mil pessoas.