Tempo de trajeto em benefício das empresas

0
16



Metade dos profissionais brasileiros estão se libertando de suas mesas. É o que revela pesquisa realizada pela Regus, que entrevistou 16 mil profissionais em mais de 80 países. Estes profissionais estão mais livres para trabalharem em outros locais, fora do escritório da empresa, durante metade da semana ou mais, o que os ajuda a diminuir o tempo  gasto no trajeto entre suas residências e o escritório, além de permitir que escolham outros locais de trabalho próximos de suas residências.

 

A pesquisa confirma que 48% dos funcionários no mundo trabalhariam com mais empenho se pudessem reduzir o tempo de deslocamento para chegar ao trabalho, o que também traria benefícios para empresa. Além disso, cerca de 87% afirma que dedicariam mais tempo ao parceiro (a) e à família, enquanto 85% praticaria exercícios físicos e 79% realizaria atividades para ampliar as qualificações educacionais.

 

“Embora muitos profissionais tenham a possibilidade de escolher diferentes locais de trabalho, ainda há espaço para que mais pessoas sejam beneficiadas pela adoção de práticas flexíveis no dia a dia. Todos são beneficiados quando o tempo gasto no trajeto para chegar ao trabalho diminui”, comenta Guilherme Ribeiro, diretor geral da Regus no Brasil.

 

No Brasil, lembra o executivo, o Censo de 2010 destacou que houve um aumento no tempo gasto para se chegar ao trabalho, e os profissionais revelaram que a economia de tempo entre os deslocamentos seria dedicado a atividades de saúde e bem estar, como frequentar uma academia, dedicar mais tempo à família e ao auto-aperfeiçoamento. “Uma pesquisa anterior da Regus  revela que cerca da metade dos profissionais entrevistados  afirmam que dedicariam ao trabalho um pouco desse tempo economizado no trajeto de casa  até a empresa. Sendo assim, os benefícios das práticas flexíveis  de trabalho vêm em dobro: funcionários mais  saudáveis e produtivos, o que também favorece as empresas”, resume Ribeiro.