Trace seu próprio caminho

0
1


Surpresas nos acometem a todos os momentos. Quando nos sentimos muito bem, realizando atividades profissionais dentro de nossa própria empresa, ou dentro da corporação que nos contratou, e temos um reconhecimento (cada vez mais raro) referente a este trabalho, experimentamos uma tendência de nos sentirmos confortáveis.

Podemos citar como exemplo o ocorrido na Copa do Mundo da Alemanha, depois do show de bola que nossas feras demonstraram nos amistosos e nos torneios anteriores à Copa, tivemos uma enorme frustração durante o principal torneio mundial de futebol. Podemos dizer que foi difícil motivar um time de estrelas, que obteve sucesso e reconhecimento recente? Nas empresas, no mercado de trabalho, não é diferente.

Afirmo que devemos comemorar cada uma das nossas realizações com todos os participantes, o que será o combustível para empreendermos a próxima etapa de nossa conquista, porém devemos fugir da situação de que, depois da conquista, estaremos confortáveis. A forma de evitarmos estas situações de conforto está em criarmos o hábito de prepararmos um plano de ação para que possamos estar orientados o tempo todo, prevendo os possíveis obstáculos que precisaremos ultrapassar.

É evidente que não poderemos pensar em tudo, porém o quanto melhor nos prepararmos (o que parece ter sido o foco de nossa seleção), teremos mais chances de enfrentar as adversidades e as dificuldades das disputas que teremos em nossa jornada.

Podemos ver como exemplo na grande maioria das empresas classificadas como as melhores empresas para se trabalhar, conforme as 150 Melhores empresas para se trabalhar e The great place to work. Estas estão desenvolvendo programas voltados para o atendimento das necessidades dos funcionários. Aqui não estamos falando de desejos, e sim de necessidades legítimas de crescimento, desafio, ambiente de trabalho e uma possibilidade de visibilidade de sua vida e de sua carreira em longo prazo.

Lembremos que estamos convivendo em um período econômico, onde a palavra de ordem em empregabilidade e trabalhabilidade, que é “resiliência”, onde percebemos que as situações de se trabalhar sob stress tende a aumentar, devido à altíssima competitividade dos mercados e as constantes reduções das margens impostas pelo próprio mercado.

A utilização de ferramentas que possibilitem aos profissionais desenvolverem seu autoconhecimento, entendendo seus fatores que o diferenciam de outros profissionais e, ao mesmo tempo, nos possibilita compreender os pontos que precisamos melhorar, possibilitará aos profissionais ou empresas que larguem à frente neste ambiente que se apresenta cada vez mais competitivo, minimizando as eventuais surpresas que o mundo dos negócios nos reserva.

As situações onde somos pegos de surpresa, por diversas razões, podendo ser até de nos recusarmos a ver e entender o ambiente que apresenta a determinada situação, nos exige uma força excessivamente grande para revertermos às causas destas mudanças. Pois estaremos agindo diretamente quando nossa auto-estima estiver abalada, e sabemos o quanto nos prejudicamos, quando agimos em razão das decisões onde nosso lado emocional esteja abalado.

Este suporte de planejamento profissional e pessoal, que tem sido oferecido aos profissionais, encontra uma boa aceitação muito interessante dos funcionários, que os prepara para evitar efeitos traumáticos de descontinuidades inerentes ao mercado de trabalho, permitindo minimizá-las. Além disso, ratifica a mensagem de que é enquanto o time está ganhando, onde nossa auto-estima esteja elevada, que é a hora certa de pensarmos nos próximos passos de nossa trilha.

A escolha é sempre nossa! Podemos deixar os caminhos como estão, ou poderemos traçar, construir e assumir o controle (o que parece não ter sido o que aconteceu com nossa seleção) do caminho que nos leve à realização profissional e pessoal.

José Floro é sócio diretor da Floro Gerenciamento de Carreira. ([email protected])