Uma aposta com argumentos

0
1



Tanto pelo potencial, como pela extensão, o Brasil vem ganhando cada vez mais destaque nos planos de crescimento da Aspect. Com presença nos quatro cantos do mundo, a empresa colocou de vez o país entre os principais mercado de atuação e quer ampliar os negócios em solo brasileiro. “Junto com Inglaterra e China, o Brasil está na lista dos cinco mercados estratégicos, sendo uma grande aposta para nós, já que temos um número significante de vendas. É uma das principais sementes para as operações na América Latina e, francamente, o principal mercado na região”, afirma o vice-presidente sênior de vendas mundiais da organização, Brian Sheppeck, que visitou o país, recentemente, em companhia do CEO, Stewart Bloom.

 

Surpresos com o acelerado crescimento econômico do Brasil, os executivos acreditam que muitas oportunidades podem se abrir. “Vejo que o mercado brasileiro também é enorme devido ao grande número de pessoas que estão conectadas. Percorri dois quarteirões aqui e vi cinco lojas de smartphones. Além disso, todas as pessoas na calçada estavam com algum equipamento eletrônico nas mãos”, comenta Bloom. Para ele, clientes mais conectados se tornam mais poderosos e isto influência na forma como decidem interagir. “Essa nova geração está redefinindo a relação entre empresa e cliente, com o uso de redes sociais e tablets. Nossos clientes estão tendo que mudar as maneiras com as quais atendem os clientes. E a nossa tecnologia está evoluindo para que isso aconteça de uma forma despercebida e integrada”, esclarece.

 

Com relação às estratégias de crescimento, além de acompanhar as tendências, o CEO destaca que a Aspect vai apostar no Programa de Parceiros de Canal. A empresa pretende dobrar a receita no programa nos próximos dois anos. “Hoje, 15,15 % da nossa receita provem do programa. Esperamos elevar para 30%”, explica.

 

Sheppeckvai ainda mais longe e revela que as estratégias de se dividem em três. Primeiro, ele explica que há a oportunidade de melhorar a qualidade dos produtos atuais, além de aumentar o número de clientes, vendedores e parceiros.O segundo ponto é o lançamento de produtos. “Entre outubro do ano passado e o próximo ano pretendemos aumentar mais o nosso portfólio do que nos últimos quatro anos. Muitas novidade são na área de contact center”. Por fim, o VP de vendas acrescenta o amplo serviço de capacitação e de serviços que complementem os produtos. “Na medida em que se ganha mais mercado, aumentamos o respeito e o número de referências, temos a chance de compartilhar este conhecimento com clientes similares. E acabamos construindo uma capacidade de serviço mais robusta, tanto com os nossos colaboradores, quanto com os nossos parceiros”, esclarece.