Você está satisfeito com o que ganha?

0
2



Autor: José Teofilo Neto

 

Uma frase sempre pronunciada por médicos endocrinologistas e insistentemente repetida pelos que estão em dieta é: “para emagrecer você precisa continuar comendo”; com isto querem nos lembrar que todo corpo vivo da natureza que parar de comer vai morrer!

 

E nos negócios, isto se aplica?
 No dia a dia ouço nas empresas “coisas” deste tipo:
– Suspendemos os treinamentos, pois os negócios estão em baixa;
– Suspendemos os treinamentos, pois os negócios estão em alta e não vamos parar para treinar;
– Nossa política é não treinar ninguém, pois senão eles vão para a concorrência;
– Preferimos ir na nossa marcha, devagar e sempre. Nunca precisamos de treinamento;
– Treino é treino; jogo é jogo;
– Os caras voltam do treinamento cheios de ideias de mudanças;
– Vendedor já nasce feito! Você vê na cara do sujeito se serve ou não;
– Treinar é simples: a gente faz uma cotaçãozinha e leva o que tiver o preço mais barato;
– Pra que mudar se sempre deu certo assim?

 

O subdesempenho satisfatório
Convém reiterar que estas monstruosidades são ouvidas em empresas comerciais, que dependem das vendas para sua permanência no mercado através dos anos. Buscando entender as razões destas posturas, me ocorreram as seguintes reflexões:
1. Não querer treinar os funcionários, é típico de gerente inseguro, que tem medo de ver seus critérios postos em dúvida, pois também se julga melhor que todos. Não forma equipe e, quando muito, um bando de vagabundos que se contentam com pouco;
2. Ter medo que o funcionário vá para a concorrência é o mesmo que admitir que suas condições (de trabalho, de recompensa, de ambiente, etc.) são ruins e, o que é pior, saber disto e não fazer nada. Por outro lado, ao optar por não treinar é ficar convivendo com funcionários cometendo erros o tempo todo;
3. Devagar e sempre? Num mundo de hoje? Acho que na frente de seu próximo passinho, vem um abismo. Mas não faz mal, a culpa é dos chineses, né?
4. É no treinamento que se desenvolvem competências, testam-se novas estratégias. Pode-se errar à vontade; Como dizia aquele consagrado lutador: a luta eu ganho nos treinos; o ringue é só o local de minha consagração! 
5. Vendedor já nasce feito, da mesma forma que um pianista, que um engenheiro, um médico, não é gracinha? Recomendo assistir uma palestra do jogador de basquete Oscar, que treinava 5 mil arremessos por dia. Vai lá e fala pra ele que ele nasceu para ser jogador de basquete;
6.  Contratar um treinamento só lendo a proposta e escolhendo a de menor preço, acho que se não está prevista uma adequação do conteúdo do treinamento aos produtos e às condições de mercado enfrentadas por sua empresa, você bem que merecia estar lá entre os julgados em todos os quesitos do “mensalão”;
7. Durante anos fomos levados a acreditar que a inovação só ocorria no “chão da fábrica” e muitos se acostumaram com isto. Em vendas tem um pessoal correndo por fora e enxergando oportunidades. Nada de complicações: analise seus cinco maiores concorrentes, veja o que eles fazem melhor e copie. Mas veja o que eles não fazem, e que poderia ser feito. Corra e faça, pois o mercado é cruel e sempre só se lembra de quem fez primeiro. Talvez o segundo, vá lá.

 

E então, você quer ganhar mais dinheiro? Contrate um bom treinamento!

 

José Teofilo Neto é educador corporativo e proprietário da Comunicação Direta ([email protected]).