Incentivo à modernização do comércio de São Paulo

Conselho do Varejo apoia mudanças que visam aumentar as vendas e atender às necessidades de um novo consumidor paulistano

0
74
Roseli Garcia, vice-presidente da ACSP e coordenadora geral do Conselho do Varejo
Roseli Garcia, vice-presidente da ACSP e coordenadora geral do Conselho do Varejo

Um comércio mais moderno, tecnológico, que se comunica bem e que disponibiliza a melhor experiência de compras para seus clientes. Além disso, um setor associativista, com promoções pontuais de destaque e em sintonia com as transformações que ocorrem continuamente no planeta. Essas são algumas das metas visadas como resultado das contribuições  do Conselho do Varejo formado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e que juntou, em sua gestão atual, um time formado por quase 70 nomes de especialistas no mercado em diversas áreas, entre eles o CEO da ClienteSA e VP da Aloic – Aliança Latinoamericana de Organizações para Interação com Clientes, Vilnor Grube. 

Segundo o presidente da ACSP, Alfredo Cotait Neto, participante do Conselho e principal incentivador de uma ação direcionada ao crescimento do varejo, “este é o principal gerador de empregos do país e, portanto, quando incentivamos os pequenos varejistas, estamos cumprindo nosso papel de apoio ao desenvolvimento econômico do país”. Roseli Garcia, vice-presidente da ACSP e coordenadora geral do Conselho do Varejo, por sua vez,  considera que, a partir de agora, “os empresários terão à disposição todos os elementos de que necessitam para dinamizar seus negócios: palestras, consultorias, networking, apoio técnico e suporte promocional. Será com o apoio dos próprios comerciantes em um grande grupo associativista que vamos colaborar com a modernização do varejo de São Paulo”.

Outro objetivo do Conselho é o de fortalecer ainda mais a marca Sampa Week, semana de promoções do varejo que ocorre em janeiro para comemorar o aniversário da cidade. “Esse período ajuda muito o comerciante já que, em todo início de ano, as vendas costumam ser fracas ao acontecerem na sequência do período do Natal, melhor época para o comércio”, ressalta Roseli. De acordo com ela, a ACSP sempre se mostrou, historicamente, em sintonia com as transformações do varejo. “Foi assim, por exemplo, em 1956, com a criação, pela entidade, do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), iniciativa pioneira no país e que permitiu a massificação do crediário. Com isso, a expansão das vendas a prazo. Hoje, com o auxílio da ACSP, a instituição se transformou na Boa Vista Serviços, uma empresa avaliada em mais de US$ 1 bilhão e de capital aberto”.

“A tendência, no momento”, conforme avaliação da VP da entidade, “é a de nova transformação do comércio em todo o mundo, uma modernização acelerada ainda mais por conta da pandemia da Covid-19”. De acordo com a pesquisa The Global Payments Report 2021, da Wordpay from FIS, o crescimento regional do comércio eletrônico acelerou em 2020, em comparação com 2019, com um aumento no volume de transações de meios de pagamento somente no Brasil na ordem de 22,2%. O crescimento no comércio móvel teve ganhos ainda maiores, subindo 41,6%.

O estudo ainda estima que o comércio eletrônico latino-americano deve ter uma taxa composta de crescimento anual de 15% até 2024, impulsionada pela expansão de 20% no comércio móvel. Há ainda uma expectativa de que as transações do comércio eletrônico na América Latina excedam US$ 160 bilhões até 2024. “A Associação Comercial de São Paulo acompanha essas mudanças e, por isso, vai orientar os varejistas sobre a melhor maneira de continuarem vendendo bem ou, até mesmo, melhorando seu volume de vendas”, assegurou Roseli.