O comércio nas redes sociais

0
7



Autor: Leonardo Bortoletto



A ascensão das redes sociais ampliou as possibilidades de contato com amigos, trocas de informações, interesses e influências. Essa socialização virtual criou uma nova forma de negócios para empresas e marcas incorporadas ao e-commerce: o social commerce. Conhecido como s-commerce, o sistema complementa a atuação de uma empresa no comércio eletrônico, por meio das redes sociais. No Facebook, por exemplo, o país lidera o crescimento em todo o mundo, com mais de 50 milhões de perfis cadastrados, e isso proporciona boas oportunidades nessa mídia.



O s-commerce é uma jogada de gênio de empresas que visionaram o crescimento das redes sociais e estão apostando nessa forma de comércio. Muitas estão desenvolvendo aplicativos para que o consumidor da loja virtual conheça as novidades por meio da rede social, sem precisar entrar no site da empresa para ver as informações. Empresas que queiram apostar no s-commerce têm grandes desafios pela frente. É necessário inovar nesse segmento para diferenciar de outros perfis nas redes sociais e fidelizar o público consumidor, bem como investir em comunicação para “convencer” os internautas sobre as possibilidades e vantagens de comprar pelas redes sociais.



O ambiente de compartilhamento dessas mídias favorece a disseminação das informações de produtos, marcas e serviços. Essa recomendação é muito mais que uma propaganda gratuita para as empresas. É um modo de aumentar a visibilidade dos produtos e as vendas, já que são consumidores que divulgam na rede social. Segundo a pesquisa ´Global Trust in Advertising 2012´, da Nielsen, 92% dos entrevistados afirmaram que a recomendação de amigos é a forma de propaganda mais confiável e, em segundo lugar, com 70%, os comentários de consumidores publicados na internet.



Uma das grandes vantagens do social commerce é a possibilidade de interação entre consumidor e comerciante. O sucesso do comércio em redes sociais está diretamente ligado à essa relação de responder as dúvidas sobre produtos e serviços e estabelecer contato com vários públicos e gostos diferentes. É também na rede social que a opinião de pessoas conhecidas é levada em consideração antes de comprar algum produto. A divulgação das informações estabelece uma relação de proximidade e confiança entre os consumidores. A GFK Custom Research Brasil constatou que 30% dos internautas utilizam as redes sociais para reclamar ou recomendar produtos e serviços.



Vários outros benefícios impulsionam o sucesso do social commerce, como economia de tempo, relacionamento próximo com a marca, comodidade em comprar sem sair da rede social, facilidade de pagamento, descontos etc. As empresas também conseguem disseminar boas estratégias e fidelizar o consumidor, levando em consideração um bom projeto de s-commerce, o público e as tendências do segmento.



Algumas empresas brasileiras estão no caminho certo apostando no social commerce. Mesmo que ainda pouco explorado, acredito que esse comércio tende a crescer bastante nos próximos anos no Brasil. O caminho já está traçado e a receptividade dos consumidores tem sido boa. Aproveitar as oportunidades do s-commerce para favorecer os negócios é um modo de alavancar o produto, a marca ou o serviço por meio das novas tecnologias disponibilizadas no mundo virtual.



Leonardo Bortoletto é diretor-presidente da Web Consult e vice-presidente de inteligência digital da Sucesu-Minas.