O canal para quem respira cliente.

Paco Underhill discute perfil do consumidor no século 21

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Paco Underhill, presidente da norte-americana Envirosell, empresa de pesquisas, esteve no Brasil, dia 30 de janeiro, à convite da Associação ECR Brasil para a palestra “Estímulos que nos fazem comprar – O comportamento do consumidor no pequeno e no grande varejo, semelhanças e diferenças”. O evento foi realizado na sede da Associação Paulista de Supermercados (Apas).

De acordo com o consultor, no século 20, a indústria e o varejo influenciaram os consumidores sobre que produtos comprar e em que locais. No século 21, a situação se inverte. Os consumidores assumem o comando e passam a ditar as regras, escolhendo os produtos e marcas de sua preferência em lojas que atendam suas necessidades. Para serem bem-sucedidas, as empresas precisam procurar conhecer o novo perfil de consumidor em níveis mais amplos, de modo a tornar a compra uma experiência agradável, prazerosa e não apenas uma troca de bens por dinheiro.

“O homem geralmente é prático e se concentra no produto. Se vai comprar uma furadeira, sua preocupação é com o modelo, a marca e a potência. Já a mulher é sensível e quer soluções. Se estiverem interessadas em uma furadeira, a preocupação delas será com os buracos que a máquina é capaz de fazer”, avalia. Para ele, só com o estudo do comportamento dos consumidores na loja é possível entender suas atitudes no ponto-de-venda e, com isso, fazer com que o varejo, em parceria com a indústria, desenvolva ações que possam atender as suas necessidades. “O desafio das empresas é o de criar uma experiência de compra que satisfaça os dois casos”, completa.

O envolvimento dos consumidores com os produtos e o ambiente da loja também irá determinar o futuro do comércio eletrônico, avalia o consultor. “O consumidor poderá fazer antecipadamente as compras de rotina pela internet (como arroz, feijão, sabão) e levá-los na hora em que for à loja física para adquirir produtos em que esteja envolvido emocionalmente (vinhos e queijos, por exemplo). Nesse novo modelo, o consumidor pode dedicar o seu tempo às compras que lhe tragam prazer e satisfação”, salienta.

Nesse aspecto, o especialista considera que ainda há muito que se aprimorar como displays e gôndolas que dificultam o manuseio e até a visibilidade dos produtos, corredores estreitos que impedem a passagem e comunicação visual confusa. Paco Underhill desenvolve pesquisas para empresas da indústria e do varejo no Brasil e no mundo, entre elas McDonalds, Unilever, Wal-Mart, Grupo Pão de Açúcar, Citibank, Ambev e Gillette. Também é autor do livro “Vamos às Compras – A Ciência do Consumo”, publicado no Brasil pela editora Campus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima