PeopleSoft tem faturamento recorde e Brasil é alvo estratégico

0
2

A PeopleSoft registrou recorde na venda de novas licenças, US$ 174 milhões, e faturamento total de US$ 528 milhões, no último trimestre do ano passado. Os ganhos com operações recorrentes cresceram 40%, atingindo US$ 58 milhões ou US$ 0.18 por ação. Ao longo de 2001, as licenças cresceram 30% e atingiram US$ 645 milhões e o faturamento total cresceu 19% em relação ao ano anterior, ultrapassando a casa dos US$ 2 bi. O lucro operacional cresceu 107% e foi para US$ 190 milhões ou US$ 0.59 por ação, contra US$ 92 milhões ou US$0.30 por ação registrados em 2000.

O Brasil continua sendo alvo estratégico para a empresa em 2002. No País, várias empresas adotaram a suíte PeopleSoft 8. Entre elas, destacam-se: Companhia Siderúrgica de Tubarão, Avon, BankBoston, ACS, Perdigão, Grupo Ipiranga, Grupo Pão de Açucar, Total Express, Nextel, Santander e Brasil Telecom. De acordo com o diretor geral da PeopleSoft do Brasil, Paulo Bonucci, a subsidiária acompanhou o crescimento global da companhia. “Investimos cerca de US$ 5 milhões na localização completa do PeopleSoft 8 e estamos trabalhando para migrar toda nossa base instalada para a nova plataforma ainda este ano”, explica.