O canal para quem respira cliente.

ADVB homenageia empresários luso-brasileiros

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A venda de produtos para Portugal mobilizou cerca de 2.180 empresas brasileiras no ano passado – 12% mais do que no ano anterior. A balança comercial favorece a ex-colônia. No ano passado, o embarque de mercadorias nacionais para aquele país, rendeu US$ 962 milhões, contra US$ 628 milhões – representando 1% da receita total de exportações. Em relação a 2003, o crescimento foi de 53%, enquanto o valor das importações, da ordem de US$ 191 milhões, contra US$ 143 milhões no ano anterior, evoluiu 33%.

Esses números, que revelam a importância do intercâmbio comercial entre os dois países, justificam a iniciativa da ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil), de criar o título “Personalidades Empresariais Luso-Brasileiras”, registra José Zetune, o presidente da entidade e, também, da ADVP (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Portugal). primeira versão, entregue dia 18 de maio, em São Paulo, distinguiu Miguel Horta e Costa, presidente mundial do Grupo Portugal Telecom (PT); Carlos Vasconcellos Cruz, presidente da Portugal Telecom Investimentos Internacionais; e Nizan Guanaes, presidente da Africa Propaganda.

Com o apoio da ADVP (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Portugal), na pessoa do presidente José Zetune, a homenagem lhes foi prestada em almoço no Clube Atlético Monte Líbano, do qual participaram quase duas mil pessoas, entre empresários, profissionais de marketing, publicidade e propaganda e imprensa. A escolha dos homenageados foi feita pela diretoria e presidência da ADVB, que chegaram aos três nomes depois de analisarem o desempenho de vários profissionais, brasileiros e portugueses.

O vice-presidente da ADVB, Gilmar Pinto Caldeira, considera que a homenagem, a ser prestada todos os anos, daqui para frente, ajuda a estreitar ainda mais as relações entre os dois países. “Brasil e Portugal, por motivos históricos, são considerados países irmãos e eventos desse tipo, favorecem o intercâmbio e a troca de experiência com benefícios para ambos os lados”, argumenta, anunciando que a ADVB e a ADVP vão realizar, ainda, neste ano, o I TOP de Marketing em terras lusitanas.

Gilmar acredita que a qualidade da propaganda que o Brasil produz, justifica plenamente a iniciativa. “Mesmo muitas vezes sem recursos, a criação brasileira já é a quarta melhor do mundo e nós temos muito a ensinar aos parceiros portugueses. A Africa Propaganda, por exemplo, é requisitada para fazer campanhas internacionais em função da qualidade do trabalho que realiza. Nós temos talento e criatividade. Só precisamos de mais incentivos”, reivindica o vice-presidente da ADVB.

Reconhecimento – Aos quase 50 anos, que completa em 2006, a ADVB tem como objetivo incentivar e reconhecer grandes ações empresariais, nas áreas econômica, social e política cujo objetivo seja o desenvolvimento do País. Com essa filosofia é que a entidade criou e editou o reconhecimento aos empresários luso-brasileiros.

Em almoço que reuniu, em São Paulo, empresários e profissionais, anunciados pelo empresário e jornalista João Doria Jr., que também lhes entregou os títulos, os três homenageados agradeceram emocionados, ao falarem sobre as relações dos “países-irmãos”.

Carlos Vasconcellos Cruz destacou a força do Brasil nos negócios. “Esse País tem um enorme potencial a ser explorado. A própria Vivo, hoje, é o principal negócio da Portugal Telecom no exterior, com importante participação na composição das receitas da PT. Amo cada dia mais este País não só pelo sucesso da Vivo, mas, sim, pelo que ela representa, por sua gente, por sua história”, disse o executivo.

Miguel Hor ta e Costa e Nizan Guanaes agradeceram aos dois países pela oportunidade de integração dos negócios e ressaltaram a importância de Brasil e Portugal estreitarem cada vez mais as relações. Os executivos acham que os dois povos só têm a ganhar com o intercâmbio.

Personalidades – Miguel Horta e Costa, 54, está no comando do Grupo PT desde 1995. Licenciado em Economia pela Universidade Técnica de Lisboa, fez diversos cursos na área da organizção e gestão de empresas. Iniciou a carreira em 1972, no CTT (Correios e Telecomunicações de Portugal), onde exerceu diversos cargos diretivos, além de ocupar a vice-presidência do Conselho de Administração. No Grupo PT Internacional, é membro não-executivo do Conselho de Administração da Telefónica, vice-presidente não executivo e presidente do Conselho de Administração da Telesp Celular.

Carlos Vasconcellos Cruz, 45, presidente da PT Investimentos Internacionais, é membro da Comissão Executiva da PT. Formou-se em Organização e Gestão de Empresas no ISCTE (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa) e foi presidente da Telesp Celular e presidente e CEO da Tradecom, além de administrador executivo da PT Prime.

Nizan Guanaes, 46, administrador de empresas pela Universidade Federal da Bahia, lidera a Africa Publicidade, uma das maiores agências do País, integrante do Grupo Ypy de Comunicação, formado também pela DM9DDB e MPM. Sob comando do executivo, a DM9 ganhou duas vezes consecutivas o título de “Melhor Agência” no Festival de Cannes e o primeiro Grand Prix para o Brasil, com o anúncio criado para a Antarctica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima