Entendendo mais sobre a famosa Excelência Operacional

0
2



Orientação estratégica adotada por muitas empresas e tem como objetivo principal prover o lucro das empresas através da redução de custos e não necessariamente do aumento das receitas. Normalmente são empresas que trabalham em mercados estáveis, altamente competitivos em preços e que, para atingirem as margens desejadas, precisam não gastar. Principais iniciativas:

RECEITAS
– Ganho em escala, Menores margens/Maior volume.
– Ganho por Cobertura de área/Vários pontos de venda.
– Alta competitividade em genéricos/Redução dos custos.

CUSTOS
– Baixo investimento em propaganda e promoção/As grandes empresas já o fazem.
– Rígido controle de despesas e baixo investimento./Buscar sempre o que já esta pronta e disponível de copiar.
– Busca por melhoria contínua na redução dos custos de produção e logística de distribuição.
– Copiar ações vencedoras de empresas concorrentes.

Um exemplo de onde esta orientação estratégica é visível são os BANCOS. Você já viu um banco “perder um centavo”? Seus processos não prevêem este tipo de resultado.

A tão aclamada “informatização” para prestar melhor atendimento, nada mais é que a substituição de custos com pessoal por custos operacionais de uma máquina. Processos repetitivos podem e serão executados por elas.

Eu acredito que atendimento deve ser prestado por gente. Se você não concorda, “ligue já” para qualquer call center e fique esperando enquanto a máquina fala com você. Sei que muitas vezes ficamos malucos com operadores de telemarketing, mas os problemas são resultados das condições de autonomia que são dadas para eles.

Em breve, estaremos buscando nos diferenciar dos genéricos. Aqui no Brasil, poucos setores foram afetados profundamente pela entrada de produtos chineses, indianos e coreanos. A grande maioria das empresas ainda esta vivendo em berço esplêndido.

Muito se fala sobre concorrência no mercado de genéricos ou commodities, e seria importante entender melhor como ele funciona: Pense o seguinte: Como você define o preço de venda de um produto novo? No mercado com alta pressão de genéricos, o preço é definido pelo acréscimo da margem desejada (máximo de 20%) sobre o custo de produção.

Margem é o resultado de uma conta: Receita – Custos. Neste caso, a busca por reduzir os Custos é o objetivo principal de todos. Alguns exemplos:

A) Logística de processos. O depto. de compras faz a gestão detalhada de tudo que precisa ser comprado. Em muitos casos, a rede terceiriza o estoque e a promoção para o fabricante, reduzindo consideravelmente seus custos operacionais.

B) Negociação com grandes empresas e produtos de marca forte. Uma grande atração para consumidores irem às lojas, e que estrategicamente é disposta junto a marcas menos fortes e marcas próprias, mas com uma sensível diferença de margem para a empresa.

C) Qualidade nos processos internos: funciona como um relógio. Ao passar pelo caixa, o volume do produto já é retirado do estoque e solicitada sua reposição, atendendo estoques limites mínimos.

D) Grande poder de barganha nas negociações, aliadas ao tipo de premiação diferenciado ao seu depto. de compras, que tem metas de redução em preços de compra e recebe treinamentos profissionais para executar esta função.

E) Tudo é pensado e planejado para reduzir custos operacionais e as possíveis reduções de margens serem compensadas pelo ganho em escala.

F) Seus funcionários são recompensados publicamente e financeiramente por idéias que tragam redução de custos operacionais. A empresa cresce todo ano buscando a liderança no custo operacional e quando começou sua expansão, não procurou grandes centros, mas sim regiões menores e com alta necessidade de uma rede forte. Se sua empresa é assim, prepare-se: em breve um tubarão estará nadando em suas águas calmas.

Sua empresa esta preparada para lutar nesta arena? Comece a pensar na Excelência em custos, ela será uma das armas ao seu favor no futuro.

Marcos Fabio Mazza, PMO Projeto VMI – Supply Chain Operations Brazil. Email: [email protected]