O espelho de um projeto sustentável para o Brasil

0
4



Um caminho sem volta rumo ao desenvolvimento do País. Assim pode ser definida uma iniciativa pioneira e visionária, que ganhou forma em meados da década de 50, em um período que o Brasil dava seus primeiros passos rumo à revolução industrial e uma série de produtos e serviços apresentados à sociedade de consumo, sem qualquer pesquisa ou estratégia requintada para dar suporte às estratégias. Assim nasceu a ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil) com objetivo de contribuir com o desenvolvimento econômico do País em suas diversas frentes de atividades, oferecendo serviços formatados às necessidades atuais e futuras dos estados, estimulando e capacitando os empreendedores brasileiros. Os visionários talvez nem tivessem pensado na musculatura que se dissemina nacional e internacionalmente quando fundaram a entidade. Hoje, a ADVB conta com 16 filiais espalhadas pelo País e mais três no exterior, e já consolidou diversas parcerias com associações, entidades, instituições de ensino e empresas. “O nosso principal objetivo é trabalhar para o desenvolvimento sustentável da nação, pois acreditamos que 90% dos problemas organizacionais estarão resolvidos quando as empresas estiverem vendendo”, justifica Agostinho Turbian, presidente da Federação das ADVB´s, a Fenadvb, fundada em 2003 com o propósito de permear as suas afiliadas, alinhando estratégias para ganhar espaço no cenário de globalização cada vez mais concreto, com os interesses político e mercadológico bem definidos, com raízes fortes para estimular sua grande base, que é a livre iniciativa. “Sentimos a necessidade de ter um sistema e, por isso, criamos a federação, que entrou em funcionamento efetivo a partir de 2006”, afirma Turbian.

A representatividade do sistema Fenadvb pode ser avaliada pela representatividade local, reconhecida pelos presidentes das regionais. A ADVP, por exemplo, aposta reunir a maior fatia de contribuição em Portugal. No Brasil, a regional da Paraíba representa 6% do PIB do Estado, mas projeta chegar a 1/3 a médio prazo, enquanto a catarinense representa 35% do PIB local, a de Mato Grosso do Sul, 25%, e a paulista, 18%. A projeção da Fenadvb é atingir 60 mil pessoas por ano nas ações onde atua por intermédio de todas as suas associadas.

“Certamente a união de ações é um movimento importante para o mercado e ajuda a promover o desenvolvimento sócio-econômico do nosso País”, aposta Cláudio Goldsztein, presidente da ADVB-RS. Para Newton Garcia, presidente em Brasília, a entidade pode ser definida, atualmente, como uma “ONG Empresarial”, que objetiva o fomento e desenvolvimento de negócios entre seus membros, a capacitação de recursos humanos em vendas e marketing e o reconhecimento e a dignificação do trabalho das empresas em prol do desenvolvimento sustentado do Brasil. “A ADVB, por representar os diversos setores de vendas e marketing, obrigatoriamente presentes em todos os segmentos empresariais, sempre se pautou por ser uma associação de perfil horizontal, perpassando os diversos setores, e não de perfil vertical e corporativo, como outras agremiações. Esse fato lhe dá um poder de atender a interesses mais abrangentes e a permitir que ela funcione como agregadora e aglutinadora de ações que envolvam entidades corporativas e pontuais de segmentos específicos”, reforça Garcia.

E, para estimular o desenvolvimento regional e nacional, as ADVB’s têm desenvolvido ações localizadas, como revela Gilton Almeida, presidente da ADVB-MS. A entidade tem buscado importante articulação com os governos estadual e municipal, dentro de uma estratégia global, objetivando prospecção de investidores e despertando interesse em conhecer as potencialidades econômicas e turísticas do Mato Grosso do Sul, colaborando para o conseqüente crescimento da oferta de emprego e renda. “A capital sul-mato-grossense já tem delineado sua vocação para o turismo de eventos e negócios onde centraliza os principais acontecimentos de caráter econômico, político, social e estudantil do Estado, como as tradicionais exposições do agronegócio, devido ao Estado ser o maior produtor e exportador nacional de carne”, descreve Almeida. Miguel Ignatios, presidente da ADVB em São Paulo, se orgulha em afirmar que a regional aproxima empresários renomados de autoridades com possibilidade de networking eficiente e direto, além da troca de experiência e informações entre várias regiões do Brasil e do mundo que contribuem para o melhor desenvolvimento das empresas de São Paulo.

Os exemplos se alastram pelo País. A ADVB-PB tem mantido relacionamento com órgãos públicos e entidades representativas da Paraíba, acelerando intercâmbio de idéias e incremento de projetos focados no fomento do desenvolvimento local. “Nesse ano, teremos inúmeros eventos voltados à comunidade empresarial paraibana. Para cumprir nossos objetivos que envolvem conhecimento, reconhecimento e relacionamento; planejamos um calendário mais efetivo com Palestras Express mensais, além de Fóruns de Debates e a realização do Top de Vendas no final do segundo semestre”, afirma Eduardo Cop, presidente. Outro exemplo é a participação do governador da Paraíba no Fórum de Debates, em São Paulo, tendo a oportunidade de apresentar o Estado a empresários do sudeste. “Estamos intermediando também, por meio da ADVB-PB em parceria com outras ADVB’s, o intercâmbio e a troca de experiência dos empresários paraibanos com o restante do País e exterior”, reconhece Cop.

Um dos diferenciais é atender as necessidades locais, mas com foco nacional. Assim, a cada ano cresce o número de projetos na ADVB no Rio de Janeiro, por exemplo, voltados ao desenvolvimento sustentado, como o Fórum dos Governadores, o Happy Hour Empresarial, o Encontro com os Notáveis, Business Breakfast, o Prêmio Top Social e o Prêmio Top de Marketing. A entidade procura estimular diversos segmentos, sempre com a preocupação de divulgar e reconhecer grandes feitos e importantes nomes do cenário político, jurídico e empresarial. “Primamos pelo relacionamento, pelo intercâmbio de experiências e pelo desenvolvimento intelectual do nosso estado. Contamos com a participação do governador em quase todos os nossos encontros, bem como a de grandes líderes empresariais e representantes do governo municipal e estadual, além de deputados, vereadores, juízes e personalidades que sabem a importância do trabalho que desenvolvemos em nosso estado”, avalia o presidente da ADVB-Rio, Aleksander Santos.
Outro modelo localizado e diferenciado é o Fórum de Debates ADVB Amazonas de Sustentabilidade, realizado a cada dois meses e direcionado a líderes empresariais, presidentes, diretores, gerentes de empresas, formadores de opinião, jornalistas e entidades de classes. São avaliados como um produtivo encontro onde é possível trocar experiências, realizar debates, oficinas e cursos de capacitação, além de outras ações que enriquecem o processo da gestão responsável pela sustentabilidade. Segundo Núbia Lentz, presidente da regional ADVB do Amazonas, são convidados para estes eventos especialistas que se destacam no cenário nacional e internacional e que podem proporcionar, aos participantes, a troca de idéias em um plano conceitual e operacional. “O primeiro Fórum aconteceu em fevereiro deste ano e teve a brilhante participação de Germano Rigotto, ex-governador do Rio Grande do Sul, com o tema ‘A Sustentabilidade do Brasil e os Entraves para o Desenvolvimento’. O próximo ocorrerá em abril e terá a participação de Lívio Giosa, presidente do Instituto ADVB de Responsabilidade Social e o ex-ministro Furlan, que irá apresentar a Fundação Amazônia Sustentável”, conta Núbia.

Uma das mais tradicionais, a ADVB-RS, desenvolve ações direcionadas ao encontro da sua função social com desenvolvimento do mercado de marketing e vendas, alicerçadas entre cursos de desenvolvimento profissional e eventos de conhecimento e reconhecimento. Segundo o presidente da regional, Cláudio Goldsztein, no calendário da entidade constam cerca de 100 cursos open (abertos ao mercado), 150 cursos in company (customizados) e em média dez eventos ao ano. Um dos mais tradicionais e que reúne o PIB local é o Prêmio de Exportação, derivado do TOP de Marketing, realizado há mais de 30 anos.

Em Goiás, a regional da ADVB foi fundada em setembro de 2003. Mas as ações vieram logo depois, com a identificação de potenciais oportunidades, como os fóruns de debates a exemplo do “Almoço de Idéias”, fomentando a discussão em torno dos interesses de investimentos econômicos no Estado. “Com a mobilização dos principais empreendedores, existe a perspectiva de parcerias para complementar toda a cadeia produtiva do negócio”, ressalta Liliam Valadão, presidente da regional. Uma das mais recentes, a ADVB-MG, fundada em setembro do ano passado, foi outra decisão acertada por reconhecer o potencial da região, com sua importância histórica e grande extensão territorial. Já neste primeiro ano, a regional promoverá projetos focados em debates sociais, encontros para discussões e exposição de idéias como o Prêmio Mídia, Fórum de Governadores, palestras com os representantes estaduais para análise e troca de experiências e o Happy Hour Empresarial. Este último, um evento de grande importância também para a ADVB-ES, pois a entidade tem mais oportunidades de se relacionar com empresários de grande representatividade de outras regiões e do próprio Estado.

Em Pernambuco, um dos carros-chefe da nova gestão da ADVB será a realização do 1º TOP de Turismo do Norte e Nordeste, sediado em Recife e que já conta com o apoio de todas as regionais, capitaneadas pela ADVB-SP, que realizou a primeira versão do evento, ano passado. Em Santa Catarina, Carlos Amaral, presidente da regional, destaca a referência no segmento de marketing e vendas, mobilizando e integrando, por meio de suas ações, as mais importantes lideranças empresariais e políticas, onde também reúne, a exemplo do Rio Grande do Sul, o PIB local. Segundo Amaral, a ADVB-SC cumpre papel de vanguarda, trazendo o debate de assuntos atuais e estratégicos para o desenvolvimento social e econômico do estado e do País. Outro exemplo é a criação do prêmio dedicado à exportação, que segue o modelo de sucesso da ADVB-RS.

INTERNACIONALIZAÇÃO<br>O caminho da internacionalização da bandeira das ADVB’s tem cumprido um papel importante para o País. A ADVP, Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Portugal, presidida por António Saraiva, promove iniciativas temáticas que visam despertar o interesse de investimentos de organizações e empresas em território brasileiro, baseado em fóruns empresariais que realiza regularmente. “Também focamos iniciativas de formação pessoal e profissional. Em 2006, a ADVP atuou junto ao Ministério da Educação cumprindo papel de consultor/conselheiro na adequação e inserção dos temas ‘Marketing e Vendas’ no currículo escolar do ensino médio”, conta Saraiva. A entidade está sempre presente com parceiros de grande envergadura, dando credibilidade às ações.

O braço japonês da ADVB tem cumprido o propósito de gerar negócios e intercâmbio entre os dois países, com sucesso. O presidente Sérgio Tinen reforça que as propostas são divididas em duas situações: comunidade brasileira (empresas que querem exportar para o Japão, tendo como público alvo os brasileiros residentes – são 320 mil residentes que movimentam cerca de 9 bilhões de dólares por ano); e empresas japonesas (que buscam parcerias, investimentos, fornecedores ou contatos com empresas brasileiras). “Além disso, podemos dar todo suporte necessário aos associados, inclusive do Brasil, para missões e encontros de negócios aqui no Japão”, afirma Tinen. O executivo conta ainda que há cerca de 500 empresas de nipo-brasileiros no Japão, e mais de 500 empresas japonesas que atendem a comunidade brasileira por intermédio de venda de produtos e serviços com atendimento em português. A porta de entrada nos EUA está em Miami, com a ADVB-USA, que contabiliza resultados. “Desde nossa fundação tivemos a oportunidade de organizar alguns eventos como palestras com ênfase especial aos almoços em homenagem ao Governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, e ao Governador de Santa Catarina, Luiz Henrique”, conta o presidente Paulo Miranda.

MODELO NACIONAL<br>

Há 37 anos a regional do Rio Grande do Sul premia, como reconhecimento às melhores práticas, várias atividades como o Prêmio Exportação do Rio Grande do Sul, o TOP de Marketing e o Prêmio Melhor Vendedor do ano. E, desde 1981, a ADVB-PA realiza anualmente o TOP de Marketing para valorizar as ações de marketing e vendas. Eventos mais recentes que refletem a tese de estímulo e reconhecimento ao desenvolvimento nacional podem ser o realizado no final do ano passado pela ADVB-USA que entregou o Prêmio Personalidade Empresarial das Américas ao empresário Ricardo Bellino. “Pretendemos repetir a premiação este ano”, afirma Miranda, presidente da regional americana. Já a ADVB paulista homenageou, em março deste ano, o presidente da Vale, Roger Agnelli, com o prêmio Personalidade de Vendas de 2007. Visto todas essas ações, Aleksander Santos, presidente da ADVB-Rio, define a entidade como uma grande rede de networking, extrapolando a visão local de negócios. “Em nossos projetos fazemos pontes de encontro entre importantes setores produtivos da sociedade, o que os aproxima para geração de novos negócios e o fomento da inovação empresarial”.

Assim, a entidade consolidou a estratégia de certificar ações de destaque e reconhecimento às empresas do mercado por seus exemplos de sucesso e os reconhecidos prêmios como TOP de Marketing, TOP de Vendas, TOP Social, TOP de Ecologia, TOP de Recursos Humanos, hoje ferramentas altamente estratégicas de marketing e láureas empresarialmente cobiçadas. Marcos Aurélio Lopes, que preside a ADVB do Pará, atesta que os prêmios são entregues a empresas e instituições que apresentam cases inovadores. “Os TOPs representam um estímulo relevante, visto que incitam as boas ações nas áreas social e de capacitação. As ações da ADVB-BA, especialmente os TOPs, estimulam as boas práticas, geram credibilidade e reconhecimento, movimentando a economia local com a participação de líderes empresariais locais e nacionais e as principais autoridades políticas – normalmente os governadores estão presentes nas cerimônias. É um auxílio na execução das políticas públicas”, reforça Victoriano Garrido, presidente da ADVB-BA.

A geração de oportunidades regional é incontestável. Entre as iniciativas fomentadas pela ADVP está a formação de um elo entre investidores e oportunidades regionais. Tinen, da ADVB Japão, também contribui para a geração de oportunidades, formatando cursos de capacitação ao empresário local e disseminando palestras. A ADVB-AM promoverá, em agosto deste ano, por exemplo, o Mix de Marketing e Comunicação, um evento de dois dias composto por palestras e oficinas, com conteúdo, informação e análise, apresentada por uma seleção de reconhecidos pesquisadores e profissionais do mercado de marketing e comunicação. O foco é agregar profissionais da área de marketing, comunicação e chegar a novas gerações abrindo-se a estudantes universitários.

Seguindo a visão de desenvolvimento sustentável, a ADVB-DF, além de investir em palestras e cursos profissionalizantes, em junho do ano passado firmou parceria com a Univeb, a Escola Superior de Vendas do Brasil, e com a Esamc, Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação, para a realização de cursos de capacitação. “Um dos pontos básicos para o reconhecimento da importância da ADVB é sua função social como formadora e capacitadora de recursos humanos nas áreas de vendas e marketing, por meio de cursos presenciais, à distância ou in company”, conta Garcia. Recentemente a ADVB-SP lançou o “Guia ADVB de Referência para o Treinamento de Equipes e para o Aperfeiçoamento Individual”, instrumento importante para empresários de pequeno e médio porte, disponível no site da entidade.

Por meio do programa ADVBusiness, a ADVB-RS oferece cursos abertos ao mercado de capacitação e desenvolvimento profissional focados em marketing e vendas. Cláudio Goldsztein conta que a entidade realiza pelo menos um congresso nacional e um seminário internacional ao ano com o objetivo de provocar reflexão, atualização dos profissionais, traduzir tendências e reunir o mercado. “Mensalmente a entidade promove reuniões almoço com palestrantes convidados, além de sistematicamente desenvolver palestras e workshops”, destaca Goldsztein. Para Amaral, da ADVB catarinense a aposta também é em eventos empresariais como oportunidade para prospecção de negócios e intercâmbio de idéias e cases vencedores, o que resulta em um importante fórum de desenvolvimento regional. Quem resume o resultado das ações da entidade é Cop, presidente da ADVB da Paraíba: “Estamos gratificados com a repercussão de nossos parceiros no que diz respeito ao incremento de seus negócios, oriundos da estrutura de relacionamento proporcionada pela ADVB-PB”.