O marketing politicamente direto

0
13



Em 2010, visitei algumas cidades do Estado de São Paulo, a convite dos Correios, dando palestra com o mesmo título deste artigo. O objetivo era claro: demonstrar a partidos e marqueteiros o impacto do marketing direto nas campanhas políticas. Um potencial que tem sido pouco explorado na medida em que a maioria dos profissionais de marketing político vem da publicidade geral e costuma pensar em termos de divulgação para grandes massas.


Resumindo: diferentemente da publicidade, marketing direto cria canais de comunicação com cada eleitor individual e não espera pelo voto, e sim, mede permanentemente a resposta a cada provocação, permitindo alterar rumos em condições mais próximas da realidade.


A experiência, em minha visão, funcionou, pois, conseguimos demonstrar a eficiência do marketing direto. Mas também tive a oportunidade de aprender como usar melhor os produtos e serviços dos Correios e testemunhar a qualidade e a dedicação da sua equipe comercial. Este ano, provavelmente, a caravana voltará, visitando inclusive alguns outros Estados brasileiros. Desta vez, acredito que pode ser ainda melhor, pois eleições municipais demandam um contato mais próximo, mais personalizado -, cenário perfeito para o marketing direto.


Além disso, estou levando um produto muito bem amarrado, no qual juntei a expertise na utilização de alguns produtos excelentes e pouco conhecidos dos Correios – precisos e baratos – com a mensuração via uma ferramenta de CRM simples e a capacidade de engajamento e compartilhamento das mídias sociais, um modelo aparentemente simples, mas muito bem ajustado às necessidades dos candidatos.


O primeiro passo é conhecer a estratégia para garantir pertinência, consistência e relevância das mensagens. Em seguida, com o uso de produtos dos Correios e ferramentas web, vamos testar a receptividade dessas mensagens e ajustá-las. Tudo, controlado pela ferramenta de CRM.


É importante ressaltar que esse produto não tem a pretensão de substituir a atuação do candidato. Pelo contrário, acredito que a ferramenta de comunicação mais poderosa que ele dispõe é a sua própria intuição. Trata-se simplesmente de organizar e otimizar aquele marketing de relacionamento que ele já pratica de forma absolutamente natural.


Até a próxima!