CSU reforça oferta na indústria de BaaS

Companhia fecha parceria com a Technisys para licenciamento de longo prazo da plataforma de core bancário

0
27
Fabiano Droguetti, COO da CSU
Fabiano Droguetti, COO da CSU

O mais novo movimento da CSU na área de tecnologia é o licenciamento de longo prazo da plataforma de core bancário junto à Technisys. Com essa parceria, a solução de BaaS – Banking as a Service – da empresa se beneficiará de uma opção de core bancário, elevando o digital banking, além de abrir caminhos para a expansão da companhia. “A CSU deverá se configurar como um provedor completo de serviços financeiros digitais para diversos clientes em diferentes segmentos de mercado, entre eles, varejo, empresas de bens e serviços, fintechs, entre muitos outros”, complementa Fabiano Droguetti, COO da CSU.

A parceria com uma empresa que já atua fortemente no ambiente digital, potencializa a solução BaaS da CSU, viabilizando a criação de diferentes ecossistemas financeiros, sejam instituições de pagamentos, sociedades de crédito direto ou mesmo instituições financeiras. “Com esta nova plataforma, a CSU poderá oferecer uma solução ampla e completa no mercado brasileiro e com condições muito fortes em relação a segurança e robustez para o mercado que carece de soluções com alto grau de qualidade”, afirma Ricardo Leite, Diretor de Relações com Investidores e M&A.

A CSU passa a ser a única empresa no Brasil a utilizar a plataforma da Technisys para prestação de serviços a terceiros, registra Leite. “Com esta ferramenta, a CSU busca atender as necessidades de nossos clientes de maneira mais simples, flexível, eficiente, abrangente e com elevada qualidade, segurança e tecnologia tal qual executa há mais de duas décadas no processamento de cartões em regime de outsourcing”, finaliza Droguetti.

Na construção e desenvolvimento de uma proposta completa de soluções de serviços para seu projeto de BaaS, a CSU deverá alocar recursos superiores a R$ 150 milhões nos próximos cinco anos nas áreas de tecnologia e operações. Com este investimento a CSU buscará capturar parcela importante da indústria de outsourcing de BaaS que, pelas suas estimativas internas, deve gerar cerca de R$ 8 bilhões em negócios aos fornecedores de BaaS no mercado brasileiro nos próximos 5 anos.