Erlang iniciou com estudo em Companhia Telefônica de Copenhague

0
48


Agner Krarup Erlang foi a primeira pessoa a estudar o problema de redes de telefonia. Estudando a troca de ligações de um pequeno vilarejo ele criou uma fórmula, hoje conhecida como a fórmula de Erlang, para calcular a fração de ligações que tentavam chamar alguém fora do vilarejo e que tinham que esperar porque todas as linhas estavam em uso.

Embora o modelo de Erlang seja simples, a matemática que está por baixo das complexas redes de telefonia de hoje ainda está baseada em seu trabalho. Erlang nasceu em Lonborg, Jutland na Dinamarca. Aos 16 anos, ganhou uma bolsa de estudos para a Universidade de Copenhague e completou seus estudos em 1901 como um MA com matemática como a matéria principal e astronomia, física e química como matérias secundárias. Durante os próximos sete anos ele ensinou em várias escolas. Embora a inclinação natural dele estivesse para pesquisa científica, ele provou ter qualidades pedagógicas excelentes.

Ele não era altamente sociável, ele preferiu ser um observador, e teve um estilo conciso de fala. Seus amigos o apelidaram de ‘A Pessoa Privada’. Durante férias, Erlang viajou para a França, Suécia, Alemanha e Grã Bretanha, onde visitou galerias de arte e bibliotecas. Enquanto ensinava, mantinha os estudos em matemática e ciências naturais.

Era membro da Associação dos Matemáticos Dinamarqueses pela qual estabeleceu contato com outros matemáticos inclusive sócios da Companhia Telefônica de Copenhague. Ele foi trabalhar para esta companhia em 1908 como colaborador científico e depois como cabeça de seu laboratório.

Erlang começou a trabalhar em aplicar a teoria de probabilidades a problemas de tráfego de telefonia imediatamente e em 1909 surge o primeiro trabalho publicado neste assunto ‘The Theory of Probabilities and Telephone Conversations’, provando que ligações telefônicas distribuídas aleatoreamente seguiam a lei de distribuição de Poisson.

Mais adiante outros trabalhos foram publicados, o mais importante foi em 1917, ‘Solution of some Problems in the Theory of Probabilities of Significance in Automatic Telephone Exchanges’. Este continha fórmulas para perda e tempo de espera que são bem conhecidas agora na teoria de tráfego de telefonia. Uma pesquisa inclusiva de seus trabalhos é determinada em ‘The life and works of A.K. Erlang’.

Pelo interesse crescente em seu trabalho, vários de seus documentos foram traduzidos para o inglês, francês e alemão. Ele escreveu em um estilo muito breve, às vezes omitindo as evidências, o que dificultou o trabalho de entender para os não especialistas no campo.

É sabido que pesquisadores dos Laboratórios de Telefonia Bell, nos Estados Unidos aprenderam o dinamarquês para serem aptos a ler e entender os documentos de Erlang no idioma original.

Seu trabalho na teoria de tráfego de telefonia o fez ganhar reconhecimento internacional. Sua fórmula para a probabilidade de perda foi aceita pela agência postal britânica como a base para calcular instalações de circuitos telefônicos. Ele era também sócio da Instituição Britânica de Engenheiros Elétricos.

Erlang dedicou todo seu tempo e energia ao trabalho e estudos. Era colecionador de livros sobre matemática, astronomia e física, mas também estava interessado em história, filosofia e poesia.

Erlang trabalhou para a Companhia Telefônica de Copenhague durante quase 20 anos. Morreu alguns dias mais tarde no domingo, 3 de fevereiro de 1929. O interesse em seu trabalho continuou depois de sua morte e, em 1944, Erlang era usado em países escandinavos para denotar a unidade de tráfego de telefonia. O reconhecimento internacional seguiu ao término da Segunda Guerra Mundial. Fonte: Site www.erlang.com.br