Estudo: consumidores mais preocupados com dados pessoais

E eles acham que é responsabilidade das empresas zelar por sua privacidade
Oitenta e três por cento dos consumidores norte-americanos estão preocupados com violações de dados, 54% não confiam que as empresas sejam éticas no uso de dados e 50% não confiam nas empresas para proteger suas informações pessoais, de acordo com uma pesquisa da KPMG. A pesquisa também descobriu que 91% dos entrevistados dizem que cabe às empresas lidar com os dados de maneira responsável e 84% dizem que estão OK com a legislação estadual que lhes dá mais controle. Fonte: MediaPost InsidePerformance

Por que a Clorox não está abrindo mão da publicidade
A Clorox não considera as vendas fortes uma desculpa para recuar na publicidade, já que a empresa valoriza a publicidade como um investimento em sua estratégia de crescimento de longo prazo. A empresa, que possui marcas como sacos de lixo Glad, vitaminas Rainbow Light e carvão Kingsford, está colocando a publicidade no centro de sua estratégia em resposta ao COVID-19 e à recessão que o seguiu. Benno Dorer, o CEO da Clorox, discutiu isso em uma ligação trimestral com investidores, quando relatou que as vendas líquidas anuais da empresa aumentaram 22% nos últimos três meses de negociação, para US $ 1,98 bilhão. “Com base no que sabemos hoje. não consigo nos ver tocar em publicidade, vendas e promoção. Porque … não é uma despesa tática. É um investimento em crescimento de longo prazo”, disse ele. Fonte Warc

Sustentabilidade continua sendo a prioridade para muitas marcas de alimentos
A pandemia não esfriou a demanda dos consumidores por mais sustentabilidade no fornecimento de alimentos, e marcas de produtos de consumo e redes de restaurantes estão destacando seus esforços ambientais para aumentar a fidelidade à marca. Empresas como a rede global de restaurantes Nando´s estão divulgando seus esforços na compra local e ajudando a aumentar a sorte dos agricultores que cultivam seus alimentos, enquanto a PepsiCo está experimentando novos recipientes, como garrafas de papel e embalagens compostáveis de salgadinhos. Fonte: SmartBrief