A estratégia perfeita para cativar

0
2
“Ao narrar uma estória, começo sempre pela minha história de vida, quem eu sou, o que me define. Qualquer outro desdobramento posterior no contexto da narrativa que abordarei estarão sempre alinhados. Ser autêntico na narrativa é ser verdadeiro consigo mesmo.” A frase dita certa vez pelo presidente americano Barack Obama ilustra bem um dos principais diferenciais do storytelling: a capacidade de transmitir autenticidade para a audiência. Assim, essa técnica consegue, por meio de palavras e idéias, apresentar informações de uma forma que engaje as emoções das pessoas de forma verdadeira, segundo Fabio Santoro, presidente da Liderança Autêntica Educação Empresarial. “Com um conteúdo mais interessante e próximo a realidade do ouvinte, é possível cativar a audiência e aumentar o grau de absorção e a efetividade da mensagem.”
Dessa forma, o especialista defende que os líderes nas empresas devem utilizar a técnica do storytelling com seus colaboradores visando aumentar o engajamento dos mesmos com a missão principal da empresa, ou seja, aonde se quer chegar. Para isso, mais uma vez Santoro explica que a estória para ser efetiva precisa capturar e expressar valores que o próprio líder acredita e busca que a audiência, por sua vez, os adotem como sendo deles. “Um exemplo claro da utilização do storytelling para treinar seus colaboradores no sentido do entendimento prático da missão é caso da NASA, em que todos os colaboradores, independente de seus cargos ou posições hierárquicas, contribuem por meio do seu trabalho específico com foco em colocar em prática a missão da organização, que é levar o homem para o espaço”, conta. Também é possível utilizar a técnica do storytelling para motivar os colaboradores, gerando o que o especialista chama de conexão emocional verdadeira com a audiência. Esse diferencial consiste na premissa que as expectativas dos ouvintes, uma vez despertadas, deverão ser realizadas.
No entanto, há alguns cuidados que se deve ter, caso contrário pode colocar em risco todo o processo de adoção efetiva do storytelling. Um dos desafios  é não confundir storytelling com entretenimento puro e simples. O uso do storytelling deve ser usado para encantar as pessoas, mas deve primordialmente ter o foco em instruí-las e liderá-las. O segundo desafio está relacionado com a autenticidade do storyteller. Muitos líderes têm dificuldades em utilizar-se do storytelling, pois acreditam entrar em conflito com a sua autenticidade. “O storytelling só trará resultados reais se houver engajamento autêntico das lideranças nas organizações com o seu uso adequado, do contrário, aos ouvidos dos colaboradores o sentimento poderá ser de manipulação para obtenção de resultados apenas”, finaliza.