ABT perto de fechar acordo com DRT-SP

0
14


A ABT (Associação Brasileira de Telesserviços) anunciou que está prestes a entrar num acordo com a Delegacia Regional do Trabalho de São Paulo, que, amparada por lei, exigia cotas mínimas para empregabilidade de pessoas deficientes nas empresas do setor. De acordo com a associação, foi acordada uma possível firmação de um pacto, com duração total de quatro anos, entre as empresas e os sindicatos de seus funcionários.

Neste pacto, as empresas do setor devem cumprir um percentual mínimo de empregabilidade de pessoas com deficiência, de 0,5% para os funcionários envolvidos em operação e 8% para os setores de administração das empresas, nos primeiros dois anos do pacto, visando à adaptação destas à lei. Sendo que, nos últimos dois anos do pacto, a cota será de 5% do número total de funcionários da empresa, sendo necessário, ainda, o cumprimento de cotas trimestrais.

“Nesse sentido, solicitamos aos representantes das empresas do setor que desejarem fazer parte de tal pacto que se manifestem com urgência, nos informando quantos empregos oferecem no estado de São Paulo, separando esse número entre (i) colaboradores da área de operações (diversos cargos) e (ii) demais colaboradores (área meio)”, Topázio Silveira Neto, presidente da ABT.

De antemão, a associação informa aos que manifestarem tal interesse que, durante os quatro anos de vigência do pacto proposto, a ABT terá custos de gestão do projeto, os quais propõem que sejam repassados aos participantes, proporcionalmente ao número de vagas para pessoas com deficiência que cada empresa dispuser, conforme detalhamento a ser aprovado em conjunto com as empresas.

Por fim, a ABT alerta que o pacto diz respeito exclusivamente aos empregos disponíveis no estado de São Paulo, sendo certo que a meta é buscar pactos semelhantes nos demais estados brasileiros, bem como pactos mais duradouros, mesmo para o estado de São Paulo.