Bolsa de Empregos chega a 20 mil currículos

0
7


Criada com o objetivo de facilitar o processo de captação de profissionais e identificação de oportunidades, a Bolsa de Empregos do Callcenter.inf.br chegou, neste mês (dezembro), à marca de mais de 20 mil currículos. Entre os cargos que mais possuem profissionais cadastrados estão o de operador, com 6.400, e assistente, com 4.350. Mas os currículos vão desde estagiário, até presidente. Outra número, registrado pela Bolsa de Empregos, foi o de aproximadamente sete mil vagas disponibilizadas pelas empresas. Assim como nos currículos, a maioria é para o cargo de operador, com um total de 5.900.

A Bolsa de Empregos é a primeira iniciativa de headhunter segmentado no Brasil. O objetivo estratégico é se tornar um parceiro efetivo das organizações, que procuram profissionais para as áreas de contact center e tecnologia da informação, e dos profissionais que procuram oportunidades de emprego ou queiram entrar no segmento que mais cresce no Brasil. O serviço, por enquanto, é gratuito, tanto para cadastrar vagas como currículos.

Para facilitar todo o processo de contratação, o Callcenter.inf.br incluiu na Bolsa de Empregos dois itens exclusivos: extensa relação de competências técnicas especializadas e tabelas de resultados em vendas, custos e qualidade. Do nível operacional ao gerencial e diretivo. Assim, o candidato apontará, no site, em que itens ele está potencial e efetivamente apto a colaborar com a eventual empresa contratante. E em que aspectos ele já vem buscando resultados positivos. Em contrapartida, por meio dos filtros que permitem uma busca inteligente, as organizações contratantes poderão identificar com mais rapidez e eficácia esses mesmos profissionais.

Já nas janelas de Aconselhamento, Orientação e Artigos Opinativos – além de cursos especializados no segmento de Atendimento ao Cliente -, o portal pretende manter os candidatos às vagas atualizados com elementos práticos e teóricos das atividades. Desde a preparação metódica de um bom currículo até detalhes da formação de networking, passando pelo conceito de empregabilidade. Nessas áreas, também, é possível opinar e debater a própria atuação dos profissionais no dia-a-dia, e de nuances que hoje formam a complexa e vital importância dos departamentos de Recursos Humanos.