Clima organizacional no momento de crise

0
2
Autora: Susana Falchi
Com o atual cenário macroeconômico, o ambiente político e a falta de perspectiva de melhoria desse contexto no curto prazo, um dos fatores que melhor devem ser administrados em uma empresa é o clima organizacional. Os estudos sobre clima organizacional demonstram percepções diferentes com relação ao ambiente de trabalho.
Enquanto os gestores se mostravam mais otimistas em 30% em relação ao mercado de trabalho que os demais setores, segundo pesquisa realizada pela Agregga Consultoria, empresa parceira da HSD, com 500 empresas entre médias e grandes companhias no ano passado, a percepção das equipes não são tão otimistas.
As visões dos executivos e dos que compõem os demais níveis hierárquicos diferem nesse contexto, devido a incapacidade das empresas em transmitir seus valores e objetivos a todos os funcionários, o que prejudica o sentimento de pertencimento e o engajamento das equipes.
Os líderes não compartilham adequadamente os desafios empresariais para que suas equipes entendam que são parte da solução do problema, para que haja envolvimento e engajamento na busca pelos resultados e soluções. Isso por si só, traria a dimensão do sentido no trabalho. O funcionário precisa trabalhar por um objetivo, por uma meta, para a realização de uma entrega. Quando o trabalho se resume a cumprir a jornada de trabalho e ordens do seu superior, sem que se entenda que é a sua efetiva participação na solução dos problemas da empresa, não há motivação. O trabalho precisa trazer significado para o individuo, além de alcançar resultados financeiros para distribuição aos seus acionistas.
Uma das maiores diferenças na percepção entre o nível executivo e os demais níveis hierárquicos está na avaliação do ambiente corporativo das empresas brasileiras. Enquanto 63% dos gestores se mostraram satisfeitos com a situação de trabalho, apenas 41% dos demais funcionários pensam o mesmo. São os processos de comunicação que deixam mais a desejar para as equipes de trabalho: somente para 23% o cenário atual está bom enquanto que para os gestores, 68% veem o cenário como bom.
As grandes divergências mostram que as informações chegam de forma diferente aos níveis hierárquicos, demonstrando piores perspectivas para os funcionários do que para os gestores.
Em relação à sinergia empresarial, ou seja, à capacidade de trabalhar em equipe, 56% dos executivos se mostram satisfeitos contra apenas 32% dos demais setores. O ambiente para se trabalhar também traz à tona as grandes diferenças dentro das corporações: 63% dos executivos consideram as empresas brasileiras como bons lugares para se trabalhar, enquanto apenas 41% dos demais funcionários pensam o mesmo. Esse resultado nos mostra a falta de visão dos executivos com relação às deficiências nos processos de gestão das empresas.
Ter um ambiente de participação dentro das empresas em que o funcionário se sinta valorizado é fundamental não somente para reter bons profissionais, mas também para melhorar a sinergia, a comunicação e consequentemente os resultados empresariais.
As pesquisas de clima organizacional servem para fornecer subsídios para entendimento do contexto interno das empresas. Em momentos de crise, como o atual, um levantamento desses pode colaborar com a tomada de decisões. Sobreviver ao cenário atual com os melhores profissionais e com o melhor ambiente de trabalho, certamente tornará as empresas mais competitivas quando o mercado voltar a crescer.
Susana Falchi é CEO da HSD Consultoria em Recursos Humanos. Atua como executiva e consultora em projetos estratégicos em empresas nacionais e multinacionais de grande porte.