Dinamismo como ponto forte

0
2



Em contact center, tudo é muito dinâmico, não dá para esperar as pessoas te ensinarem a fazer as coisas, na opinião de Priscila Fernandes, coordenadora de operações e relacionamentos da Proxis. “É preciso entender aonde a empresa quer chegar e ir rumo a estes objetivos”, sugere. Não fazer apenas o trivial também será um grande diferencial, de acordo com Priscila. “Busque conhecimento com os pares e liderança direta e pratique ações fora do escopo, de forma que possa agregar valor à organização. Conquiste bons relacionamentos com todas as áreas e pessoas. Com estas ações, o reconhecimento e o crescimento serão naturais”, indica a coordenadora.

 

Priscila está ha cinco anos na empresa. Entrou como operadora e hoje é coordenadora de operações e relacionamentos. Em entrevista exclusiva ao portal Callcenter.inf.br, ela conta os caminhos para fazer uma boa carreira no setor. Priscila lembra que quando entrou na empresa, buscava apenas uma alternativa financeira e não imaginava que poderia chegar à altos postos. “O dinamismo das atividades e o acompanhamento que a empresa faz do funcionário foi o que me incentivou a crescer. Aqui as pessoas não são números e é possível ter um olhar clínico sobre cada funcionário que tenha um compromisso diferenciado com a entidade”, comenta.

 

“Logo que entrei, entendi o objetivo da empresa e inseri isto na minha vida profissional. Minhas ações eram percebidas pois eu trabalhava para o mesmo objetivo e ia pelo mesmo caminho que a companhia”, comenta a coordenadora. A sinergia foi muito grande e o reconhecimento foi natural, de acordo com ela. “Eu busquei a cada dia melhoria nos meus processos e atuação para ser um diferencial dentro da organização”, complementa. Priscila comenta ainda que a empresa a incentivou à crescer profissionalmente ao dar abertura para sugestões e escutar suas opiniões. “O contato direto com a minha liderança e com a diretoria da empresa contribuíram para que eu mostrasse meu todo meu potencial.”

 

Quando entrou na empresa, Priscila não tinha curso superior. “A própria Proxis contribuiu muito para que eu me graduasse. Fiz o curso de Marketing, pois tem muito à agregar as necessidades que tenho hoje dentro da organização e, sei que para o crescimento profissional é necessário o crescimento pessoal e intelectual”, lembra a coordenadora. Outra experiência muito importante foi também atuar em áreas Projetos e Atendimento, que enriqueceram seus conhecimentos para a função que exerce hoje, segundo ela. O próximo cargo almejado, de acordo com Priscila será de gerente de operações. “Estou buscando muito isto como fiz para chegar na coordenação.”