Gol quer transportar 120 mil passageiros por mês

0
2

A Gol, a mais nova empresa aérea do Brasil, planeja chegar até o final do ano com uma média mensal de 120 mil passageiros. Baseada no princípio de baixo custo, a companhia criada há menos de um mês está vendendo suas passagens em callcenters, Internet, em algumas agências de viagens ou mesmo no aeroporto. O check-in é integrado, ou seja, o bilhete é emitido no momento do embarque. Para baratear a passagem, tudo na Gol é espartano: o serviço de bordo serve amendoim, barra de cereais, água e refrigerante.

Para seu serviço de atendimento telefônico, a Gol optou pelo 0300 (0300-782121) que é pago por quem liga. Se optasse pelo 0800, suas chances de vender passagens mais baratas seriam menores, pois, pelas contas da companhia, de cada cinco ligações apenas uma é efetivada em venda. Neste caso, como o 0800 é pago pela empresa, teria de haver o repasse, para as passagens, do valor das outras quatro ligações.

Quem faz o atendimento da Gol é a Atento Brasil, em seu escritório da rua Alexandre Dumas, em São Paulo, onde há 100 posições de atendimento para a venda de passagens. Outro canal de vendas que vem crescendo muito é a Internet, pelo site www.voegol.com.br. Inclusive, a direção da Gol está se surpreendendo com o fato: até agora 43% das passagens vendidas foram pela internet. Até o final do ano, a intenção é chegar a 60%.

Com uma frota de meia dúzia de aeronaves 737-700 da Boeing, a Gol opera em sete capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Florianópolis, Salvador e Brasília. O fato de utilizar apenas um tipo de avião é outro ponto que contribui para o enxugamento de custos, tendo em vista que a mão-de-obra é especializada apenas no tipo de Boeing usado, filosofia que se aplica também ao estoque de peças para reposição.