Mobiliário também faz a diferença

0
1


Além da ginástica laboral realizada por fisioterapeutas e exercícios de voz com fonoaudiólogas, o mobiliário com ergonomia adequada tem contribuído para prevenir lesões musculares provocadas por esforços repetitivos, doença considerada a maior vilã do callcenter. Soluções integradas ajudam a reduzir o afastamento por LER/DORT e por problemas de voz nos callcenters. “Dependendo do projeto, a mobília pode evitar todos os problemas”, atesta o arquiteto paulista José Carlos Bechmann, especializado em interiores de callcenter.

Segundo especialistas, a introdução de móveis especialmente desenvolvidos para o setor resultou na diminuição da procura ambulatorial, no índice de absenteísmo e no aumento da disposição e motivação para o trabalho. O conjunto de soluções também foi responsável pela melhoria no relacionamento entre os funcionários.

“A mobília correta minimiza e pode até anular a ocorrência de alguns tipos de LER/DORT nas Posições de Atendimento (PAs)”, explica Djalma Benedito Marinelli, médico do trabalho da Softway Contact Center, empresa que produziu todo o mobiliário de acordo com especificação ergonômica pensada e acompanhada pelo corpo de técnicos, o que praticamente zerou o número de afastamentos por LER/DORT.

“O desenvolvimento de um projeto de mobiliário inteligente deve ir além de cadeiras e mesas modernas e confortáveis que permitem uma postura correta aos operadores de telesserviços”, diz Donizetti Pontim, diretor-presidente da Intelligent Table, consultoria em mobiliário corporativo. Segundo ele, a iluminação adequada do ambiente também é importante para evitar danos à saúde.