RH de resultados

0
28
Hoje, já há no mercado um bom número de empresas atuando com o RH focado no negócio. O cenário reforça a crescente evolução da importância da área como agente transformador e influenciador da estratégia. “Isso acontece liderando os talentos da organização para a realização dos objetivos, renovando e consolidando sua posição de mercado”, explica Eduardo Carmello, diretor da Entheusiasmos Consultoria, acrescentando que quando se está numa empresa de alta performance, o RH atua de forma estratégica, justamente porque faz parte da cultura da empresa ter uma gestão de pessoas de alto nível, exemplar, onde eles aproveitam ao máximo as soluções de RH, pois compreendem que faz parte da evolução da organização.
Na prática, isso significa atuar de forma competente nos subsistemas de gestão de pessoas (recrutar, selecionar, desenvolver, remunerar, gerenciar clima, etc). Além disso, focaliza, segundo Carmello, quatro aspectos valorosos para o negócio: formação e sucessão de liderança de alta performance; aquisição, engajamento e retenção de talentos; capacitação estratégica dos talentos com foco em melhoria de desempenho e manifestação dos valores da empresa; e construção e fomento de uma cultura resiliente, com alta capacidade de adaptação e diferenciação.
O caminho passa, primeiro, pelo desafio de eliminar uma série de dissonâncias entre objetivos, valores e competências. “Você perde muito tempo, disposição e conhecimento quando não há alinhamento entre esses elementos. É um indicador para muitas organizações, de elas ainda estão num nível primário de gestão.” Depois, conseguir implantar e consolidar os fundamentos e as práticas de RH, de forma que é possível vê-la e compreendê-la no dia a dia da empresa.
Em seguida, conscientizar e preparar toda a liderança e gestores a fazer o alinhamento entre estratégia, processos e pessoas, estabelecendo objetivos, prioridades, indicadores e planos de ação. O especialista aponta ainda a necessidade de orientar, engajar e capacitar toda a equipe, com pelo menos 50% do tempo para oferecer expectativas de desempenho para os talentos, assim como manifestar práticas de avaliação, feedback e reconhecimento constante, criando a base para um modelo meritocracia de gestão.
O LÍDER
A liderança também tem papel fundamental nesse processo. O foco dela deve estar voltado para a criação de experiências e inovações funcionais, úteis e significativas. “Funcionais no sentido de facilitar a vida dos funcionários, para que possam focar na perfeita realização de seu trabalho, úteis no sentido de servirem a um real propósito e significativas no sentido de terem impacto relevante para assim garantir um envolvimento e participação de toda a equipe”, completa. Assim, Carmelo pontua que uma liderança inovadora é aquela que, além de conhecer profundamente o negócio, também consegue obter o melhor de suas equipes ajudando-as a atingir e superar seus objetivos.