Tavares mostra novo perfil da Criativa

0
0

Este vai ser o ano da virada da Criativa. A frase é do presidente e fundador da empresa, Rubens Tavares. Fundada no dia 19 de março de 99, no Rio de Janeiro, a empresa iniciou as operações prestando serviço para a Telemar e, em seguida, para a Editora 3. E cresceu desenvolvendo ações de telemarketing ativo, praticamente multiplicando as operações ano a ano. “Deixamos de fazer propostas e passamos a apresentar projetos para nossos clientes”, justifica Tavares, que sinaliza nesta mudança conceitual a nova postura estratégica da empresa. “Não estamos pensando apenas na terceirização pura e simples. Queremos com a formação de riqueza para o cliente.”

O processo de mudança que Tavares começa a mostrar ao mercado é fruto de reestruturação e investimentos. Em números, a empresa fechou 2003 com 2.500 posições de atendimento e crescimento perto de 35%. A primeira grande novidade foi agregar ao grupo profissional Pierre Cunha, que começou como diretor de tecnologia – vindo da SPCom e há oito anos no mercado – e acaba de assumir como diretor geral. Na área comercial, agregou o expertise de José Eduardo Caldeira e Fernando Almeida, vindo da Teleperformance, como Tavares define “consultores especialistas em negócios”. Na área administrativa e financeira, Eduardo Magalhães, ex-vp do Unibanco. “Hoje, todas as empresas têm disponível tecnologia, telecom. O diferencial é, sem dúvida, o relacionamento”, aposta Pierre Cunha.

O diferencial que a Criativa começa a disponibilizar está embasado no expertise da companhia – “quem desenvolve campanhas de telemarketing ativo está capacitado a desenvolver estratégias de relacionamento com foco em negócios”, frisa Tavares – agregado a ferramentas desenvolvidas e investimento em logística. Para suportar as ações estratégicas, a empresa investiu no desenvolvimento de uma solução de gestão de database marketing que permite ter uma visão global do cliente e conseqüentemente do mercado. “A partir dos contatos podemos identificar oportunidades de negócios e temos agilidade para desenvolver campanhas de acordo com as estratégias que podemos ajudar o cliente a criar, embasados em dados reais”, pondera. A área, batizada de DBM Criativa, permite, a partir da análise de dados, acompanhar os resultados das campanhas dentro das expectativas do negócio do cliente, segundo Tavares.

A análise do mercado e o start up de percepções estratégicas para o cliente mereceu a criação de uma outra área, a Marketing Criativa. De acordo com Tavares, ela tem a missão, ainda, de contribuir com “melhora do resultado em toda a operação, com a própria retroalimentação da base de dados. O operador passa a interagir com o cliente e não diz apenas o tradicional ´alô!´. É uma cultura que começamos a implementar em várias operações”, explica. O nível do trabalho chega ao ponto de mudança de foco da empresa em operações “com mais qualidade. Estamos focando em operações de relacionamento que exigem relacionamento com mais complexidade, fidelização de clientes e retenção”, acrescenta.

A mudança de filosofia inclui ainda outras iniciativas. A empresa começa a investir na área de cobrança com relacionamento e na infra-estrutura para atender a necessidades de entregas door to door. A iniciativa já levou Tavares a investir em filiais em Piracicaba e Campinas e, para atender o interior paulista, planeja abrir operações de logística em outras cidades. Na área de cobrança, o empresário comemora a conquista de três clientes com este perfil, entre as sete contas novas conquistadas entre o final do ano e janeiro. “São operações dentro deste perfil e, entre elas, uma operação de delivery nacional”, comemora.