Telefutura fecha 2004 com crescimento

0
4

O ano de 2004 é de sucesso para a Telefutura. A empresa de call center anunciou na quinta-feira (16) que fecha o ano com faturamento previsto de R$ 140 milhões e lucro líquido de R$ 15 milhões. Em relação ao ano passado, é um crescimento de 90% – enquanto o setor obteve aumento de 20%, segundo a ABT (Associação Brasileira de Telemarketing). A Telefutura revela ainda que em sua carteira foram conquistados quatro clientes.


“Uma das razões para o crescimento é a nossa estratégia de buscar um entendimento total das necessidades dos clientes e de sua cultura. O nosso grande diferencial é desenvolver operações totalmente com a cara do cliente”, diz Luiz Mattar, presidente da empresa.


O executivo da Telefutura afirmou também que foram investidos R$ 11 milhões, ao longo desse ano, em tecnologia e na criação de novos postos de trabalho. Outro fato importante foi a inauguração do quinto site da empresa, localizado na avenida Paulista, em São Paulo. O espaço tem 4500 metros quadrados e capacidade para até 1000 PAs e 2300 funcionários. Hoje, por enquanto, o escritório está ocupado com 459 PAs e 1100 funcionários. “Já o projetamos pensando em um futuro no qual estaremos com mais clientes, mais funcionários e mais serviços a oferecer”, pondera Luiz Mattar.


Para 2005, a expectativa é positiva. A empresa prevê um faturamento de R$ 200 milhões e lucro líquido de R$ 17 milhões. Além disso, a Telefutura planeja abrir um novo site, no interior de São Paulo. A unidade será a primeira contrução horizontal da empresa, o que, segundo Luiz Mattar, vai facilitar o ingresso de portadores de deficiência física. Essa novidade vai ao encontro da politica de Responsabilidade Social da empresa, que desenvolveu alguns projetos sociais no decorrer desse ano. Entre eles está a participação no Programa Primeiro Emprego do governo federal, que gerou 431 vagas. Para o ano que vem estão previstas um total de 1000.


O executivo da Telefutura afirma ainda que o setor governamental será o grande investidor do mercado de call center. Apesar disso, Luiz Mattar disse que, nesse momento, a empresa não tem nenhum projeto voltado a essa área. “É um mundo novo. Esse cliente é bem diferente do nosso. Preferimos focar nos setores que temos expertise”, explica.