Teleperformance quer manter crescimento e consolidação

0
9


A Teleperformance, especializada em help desk, relacionamento e fidelização, cobrança e SAC, em 2002 aumentou o número de posições de atendimento de 690 para 4.050. O faturamento passou de R$ 20 milhões para R$ 120 milhões. A empresa inaugurou seis novos sites em parceria com a Brasil Telecom, e conquistou clientes como Brasil Telecom, Agip, Renault, Pão de Açucar, entre outros.



Para dar suporte ao crescimento alcançado nos últimos meses, a companhia investiu na padronização e excelência de seus serviços e procedimentos, aplicando US$ 2,5 milhões em parceria com empresas como COPC, Ernst & Young, Maica Palacios, entre outras, abrangendo as áreas operacionais e de Recursos Humanos, além de US$ 500 mil dólares em TI, tendo como prioridade a integração e melhoria contínua dos serviços prestados nos diversos sites.



Para Martin Gutierrez, diretor de planejamento e controladoria da Teleperformance, no Brasil, 75% dos call centers são ainda in house. “Com esse número e a redução da atividade econômica espremendo as margens de lucro das empresas, acreditamos que será uma tendência a busca pela terceirização para a redução de custos e, como conseqüência, melhoria nas margens de lucro. Além do que, com o acirramento dos mercados, a busca pela excelência no atendimento ao consumidor deve ser uma preocupação das empresas que têm como objetivo vender mais e fidelizar a carteira já existente, buscando especialistas para essa tarefa”, destaca.



A atividade que mais cresceu para a Teleperformance no Brasil foi o telemarketing receptivo. A tendência mundial para 2003 é o help desk, que já teve significativo desenvolvimento no ano de 2002. “O ano de 2002 foi um marco nas atividades da Teleperformance no Brasil, passando de oitava colocada no ranking para o terceiro lugar. Esse avanço agressivo tem como característica sua sustentabilidade a longo prazo, que é muito importante na nossa estratégia de consolidar a posição entre os três grandes players no mercado nacional”, avalia Gutierrez. “Para o ano de 2003, trabalharemos para a manutenção desse crescimento e sua consolidação no mercado, acompanhando a melhoria contínua do nosso capital humano e dos serviços entregues aos nossos clientes”, conclui o diretor.