Ter ou não um televendas?

0
17

Fácil não é, até por isso muitos não se arriscam – sejam contratantes ou EPS´s -, porém se bem desenhada uma campanha de televendas pode trazer bons resultados. O aviso foi dado por Lincoln de Lima, gestor de planejamento estratégico da Nextel, durante o 2º Meeting ClienteSA Televendas, que começou ontem (03) e vai até domingo, no Hotel Terras Altas, em Itapecerica da Serra. O executivo destacou que é importante estabelecer uma estratégia para estruturar e operacionalizar cada ação.
O primeiro passo para ter resultados é contar com todas as áreas de apoio integradas: mailing, EPS, auditoria/qualidade, crivo, estoque, comissão, welcome, análises. Da mesma forma, é necessário ter para sustentar as campanhas orçamento, tecnologia, processos, pessoas e, principalmente, sinergia com todas as áreas da empresa. “Não adianta sair implementando um televendas sem ter sincronia”, afirmou Lima.
Na escolha do parceiro, ele pontuou que na hora de escolher entre grandes e pequenos call centers, é preciso colocar os prós e contras na ponta do lápis, o que irá mudar de empresa para empresa. Ele também colocou que na hora de avaliar se vale a pena terceirizar é preciso fazer as contas, pegar todos os indicadores de custos e resultados. “No final, o que irá definir é se existe ou não uma relação ganha-ganha. Tem que ser bom para os dois lados”, ponderou. Diante da sua experiência, o executivo contou que ao experimentar os dois modelos – interno e terceirizado – , em relação à produtividade e qualidade é igual.
Nessa busca, Lima acrescentou ainda a importância da escolha entre os modelos fixo, variável e fixo+variável; e do tipo de mailing, que deve ser trabalhado pelo database. Além disso, destacou a necessidade do discador preditivo inteligente no parceiro. “Com todas essa pontas bem amarradas e todo esse detalhamento é possível ter bons resultados no televendas”, finalizou.