Um time vencedor

0
17
Assim como um bom gestor de qualquer empresa, treinadores de futebol preocupam-se, entre tantos fatores, também em saber administrar as diferentes personalidades dos jogadores que compõem o time. Não é a toa que muitos deles recorrem a psicólogos que os ajudem a identificar o estilo e o que motiva seus comandados para aproveitar o melhor de cada um em uma situação de extrema pressão, como a disputa de uma Copa do Mundo, por exemplo. Segundo o consultor em gestão de pessoas Eduardo Ferraz, saber identificar os diferentes perfis das pessoas que fazem parte de uma equipe de trabalho ou um time de futebol é fundamental.
Para ele, não basta ser tecnicamente um craque, se o profissional só treina quando quer, tem péssimo relacionamento com os colegas e cria atritos com a imprensa. “O líder precisa investir tempo e estudo para, além de conhecer e aproveitar bem os talentos de seus subordinados, saber lidar com pontos fracos de alguns, como egos inflados e imaturidade emocional, que pode colocar a perder anos de trabalho”, comenta.
Em um mesmo time você pode ter alguém mais extrovertido que anima todo mundo, o tímido que observa o que é percebido por poucos, o agressivo que coloca todo seu ímpeto em momentos difíceis, o líder que consegue influenciar os mais jovens. “Saber identificar as diferentes personalidades, fazer ajustes, colocar cada um em posições que rendam o máximo e até descartar um talentoso, se essa for a necessidade para que o grupo caminhe bem é função de um bom líder”, aponta o consultor. O principal fator para o sucesso de uma empresa, assim como um time de futebol, é a formação de uma equipe equilibrada, pois de nada adiantará ter talentos individuais ou uma boa ideia se não tiver um grupo unido e focado nos resultados.