Vagas existem, mas…

0
3



O Brasil possui cerca de 24,6 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, apontam os dados do Censo 2000 do IBGE. Para assistir a essa população, a atual Lei de Cotas (Lei 8.213/1991), que obriga as empresas com cem ou mais empregados a preencher de 2% a 5% dos seus cargos com portadores de deficiência, já funciona há mais de 20 anos. “Apesar de a legislação colaborar com o amadurecimento das práticas do mercado, ainda há um contingente de pessoas com deficiência que precisam se qualificar para atuar no mercado e, mais especificamente, no setor de contact centers”, avalia o especialista em gestão de pessoas e diretor executivo do Instiad, Instituto de Administração, Luiz Claudio Binato.

 

Em contrapartida, o gerente de relacionamento da Avape Net, Mário Jorge Sene, vê no segmento de atendimento ao cliente um dos setores com maior nível de empregabilidade para PCDs, pessoas com deficiência. Na linha de frente com o cliente, esses profissionais desenvolvem “relacionamento, autoconfiança, habilidades e competências, que são características fundamentais para motivação desta população”, ressalta a diretora de planejamento em RH da Contax, Neiva Dourado.

 

No Grupo BB e Mapfre, as responsabilidades, o rendimento, as cobranças e a remuneração são distribuídas da mesma forma como é feita com os demais funcionários, assegura a diretora de RH, Cleide Fonseca, pontuando que é preciso ter respeito às possíveis limitações desses funcionários. “Em alguns casos, detectamos profissionais com um grande esforço para realizar um atendimento diferenciado”, acrescenta.

 

É esse esforço e qualificação que o mercado demanda na busca por mão de obra. São as empresas que precisam atrair esse público e não o contrário. “Há de se fazer um esforço conjunto para viabilizar a qualificação e a entrada desses profissionais no mercado”, ressalta o especialista em gestão de pessoas. “Mas, os próprios deficientes devem buscar suas oportunidades e virar o jogo. Deficiente físico não é sinônimo de incompetência, nem de pena”, conclui Binato.

 

Acompanhe as matérias publicadas no Callcenter.inf.br sobre PCDs no mercado de trabalho:

 


Em expansão, setor de contact center recebe bem PCDs, diz gerente da Avape Net

 


Contax planeja investimentos em campanhas de inclusão e sensibilização de PCDs

 


É preciso um esforço mútuo de empresas, PCDs e entidades, diz especialista

 


Empresas devem contratar por competência e não características físicas, diz diretora

 

Diferenças em benefício da harmonia
Inclusão no ambiente de trabalho para gerar valor aos profissionais

 


Discrepância na oferta de vagas e falta de qualificação contribuem para problema

 


Sobram vagas e profissionais por falta de adaptação física e cultural, diz especialista

 


Divergências entre contratação e inclusão social emergem necessidade de estatuto

 


Dados do IBGE afirmam que 60% dos portadores de deficiência são analfabetos

 


ABT e Intelligent Table se unem para desenvolver PA´s adequadas a deficientes

 


Superintendente do MT diz que lei de cotas cairá com conscientização do empresariado

 


Serviço é direcionado às empresas que precisam cumprir a Lei de Cotas

 


Profissionais com deficiência especial têm a oportunidade do primeiro emprego e de inclusão social