A tendência continua

0
0
Quando um ano novo chega com ele vem novos planejamentos, novas metas a serem atingidas e problemas a serem solucionados. Entretanto, há alguns pilares que de tão importantes nunca são deixados de lado. Entre eles, está o relacionamento com cliente. Como avalia Paulo Pedo, CEO da Melissa, em 2017 as tendências para essa questão devem continuar sendo o grande foco das empresas, até porque a era das experiências também se mantém. “O consumidor está cada vez mais preocupado e querendo saber a história da marca e, ao mesmo tempo, exigindo inovação”, afirma.
Além disso, a atenção no relacionamento se manterá ainda como uma maneira de conseguir obter bons resultados, já que, para Pedo, este ano ainda trará algumas dificuldades, exigindo dos gestores ainda mais flexibilidade e criatividade em inovação para estabelecer diferenciais de atração. “O grande desafio das empresas para 2017 será manter a rentabilidade e performance, tendo em vista uma natural diminuição do poder de compra e do apetite por consumo”, analisa o executivo.
Dessa forma, um bom exemplo de continuidade de 2016 é o estudo e entendimento sobre os diferentes perfis de consumidores que há no mercado. Principalmente em épocas de crise, cada classe social apresenta um comportamento. Segundo o CEO da Melissa, as classes média baixa e baixa tendem a sofrer mais, o que reduz seu poder de compra e buscam por alternativas econômicas. “Já o consumidor das classes média alta e alta compram menos itens, mas focam na maio qualidade/valor percebível”. E, junto a isso, movimentos socioculturais, como liberdade de gênero, saúde e bem-estar, continuarão moldando o comportamento de consumo dos clientes, independente de suas condições econômicas.
Tanto que, para este ano, a marca de sapatos manterá seu foco nos diferentes públicos com que se relaciona – consumidores e lojistas -, procurando justamente estabelecer esses laços comportamentais e culturais. Por exemplo, o desenvolvimento de projetos de colaboração com influenciadores online em determinadas regiões do país e criar um relacionamento mais direto com os vendedores.