As vantagens do cardápio digital

Recurso é alternativa para garantir uma melhor experiência ao cliente, bem como segurança sanitária e economia neste momento de reinvenção dos estabelecimentos

0
29
Guilherme Hernandez, CEO da Kyte
Guilherme Hernandez, CEO da Kyte

Um dos recursos que está auxiliando na retomada do setor de bares e restaurantes são os cardápios digitais. Quem assegura é Guilherme Hernandez,  CEO da Kyte, startup que oferece essa e outras soluções para vendas e gestão. Segundo explicou o executivo, a ferramenta possibilita uma nova versão dos tradicionais menus, digitalizados e, diversas vezes, interativos. Podem aparecer no formato de tablets disponíveis nas mesas, totens de atendimento espalhados pelo ambiente ou até mesmo nos celulares dos clientes, sendo acessados por QR Codes ou links.

Dados da Abrasel –  Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, desde o início da pandemia cerca de 200 mil desses estabelecimentos fecharam as portas. Para não entrar na estatística, muitos empresários precisaram se reinventar em meio às restrições. Além da adoção do delivery — que saltou de 49% para 81% entre os estabelecimentos do setor de alimentos, segundo o Instituto Locomotiva —, também foi preciso pensar em soluções para proporcionar uma experiência melhor aos clientes, seja presencialmente ou on-line. Diante desse cenário, o executivo aponta sete vantagens em adotar o cardápio digital:

1 – Integração de vendas online e presenciais
Com o salto no uso do delivery, os bares e restaurantes que ainda não ofereciam esse tipo de serviço precisaram se adaptar. No entanto, desacostumados em manter operações online e presenciais simultaneamente, muitos empreendedores acabaram se perdendo na gestão das vendas. “Nesse quesito, o cardápio digital é uma ótima alternativa, já que integra em apenas um sistema os pedidos realizados pelos consumidores, independentemente de onde eles estejam”, explica Hernandez. Em casa, o cliente pode acessar o menu no celular ou através de um link compartilhado pelo estabelecimento em seu site, redes sociais ou aplicativos de mensagem, por exemplo. Dessa maneira, os gestores podem acompanhar os pedidos presenciais e por delivery, controlando a operação de perto e gerenciando finanças e estoque facilmente.

2 – Mais segurança sanitária para o cliente
Outro fator que contribuiu para a popularização do cardápio digital, segundo o CEO da Kyte, é a segurança proporcionada ao cliente. Ao consultar as opções de consumo no próprio celular, o consumidor evita o risco de compartilhar o tradicional menu impresso, que passa de mão em mão, reduzindo as chances de uma eventual contaminação por Covid-19. Além disso, é muito mais fácil higienizar os cardápios digitais em tablets ou totens do que os de papel. Como na maioria das vezes esses sistemas também são interativos, permitindo que o cliente faça o pedido e até mesmo pague a conta por aproximação do próprio celular ou smartwatch, ainda há a vantagem de não haver troca de dinheiro ou contato com maquininhas de cartão. 

3 – Economia de recursos
Existem diversas plataformas para criar um cardápio digital. Muitas delas são oferecidas em aplicativos mobile por um baixo investimento ou até mesmo gratuitamente. “No Kyte, por exemplo, basta o proprietário baixar o aplicativo, cadastrar os produtos e gerar um link do cardápio para compartilhar com os clientes”, reforça Hernandez. No formato físico, é necessário fazer a impressão de todos os cardápios, além da reimpressão sempre que houver mudanças nos produtos oferecidos ou valores cobrados. 

4 – Facilidade de uso
Assim como um cardápio tradicional, a alternativa digital é bem simples e fácil de usar. No delivery, basta que o usuário acesse o link da loja no celular; enquanto, no físico, ele pode direcionar a câmera do smartphone para um QR Code e ser redirecionado ao cardápio. Não há necessidade de baixar nenhum aplicativo, ao contrário do que muitos possam imaginar. “O fato de o cliente poder navegar e conhecer os produtos sem pressa e sem a interferência de alguém ainda aumenta as chances de ele consumir mais”, acrescenta Hernandez.

5 – Agilidade no atendimento
Para os estabelecimentos físicos, um dos principais benefícios do cardápio digital é acabar com as filas e agilizar o atendimento. Como os clientes podem fechar o pedido e até realizar o pagamento sozinhos, eles não precisam passar por atendentes ou pelo caixa para pagar a conta. Tudo é automatizado, o que facilita o fluxo de vendas e a ocupação do espaço, garantindo também mais circulação e segurança no contexto de pandemia.

6 – Melhora nos serviços oferecidos
Com os clientes tendo a possibilidade de fazer seus pedidos por conta própria, é possível organizar melhor a equipe de trabalho para a realização de funções mais importantes. “Com mais tempo livre, os garçons, por exemplo, podem se dedicar mais para oferecer um bom atendimento e manter as mesas em ordem, evitando eventuais problemas”, explica o CEO da Kyte.

7 –  Redução das chances de erro nos pedidos
Qualquer estabelecimento está sujeito a contratempos — até porque, dependendo do número de clientes e pedidos, é muito difícil manter a ordem em todas as anotações feitas manualmente. E quando os pedidos feitos de forma presencial se misturam com os do delivery, o estabelecimento fica ainda mais suscetível a erros. Com o cardápio digital, os pedidos registrados são automaticamente enviados para a cozinha. Além disso, com uma gestão integrada de vendas online e presenciais, a possibilidade de que alguma informação se perca no caminho é bem pequena. “Como resultado, evita-se retrabalho e desperdício com pedidos errados, bem como a insatisfação do cliente com a demora por conta dos erros operacionais”, comenta Hernandez.