O canal para quem respira cliente.

Canais digitais da Zurich agora também em Libras

Carlos Toledo, diretor de Recursos Humanos da Zurich no Brasil

A seguradora Zurich anunciou a chegada de um “novo colaborador”, que representa uma grande mudança em termos de acessibilidade em seus canais digitais. Trata-se do Hugo, um plug-in de tradução para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), presente no site institucional e nos portais da companhia: do cliente/previdência, do corretor e do fornecedor.

A novidade é uma parceria da seguradora junto à Hand Talk, startup que promove a acessibilidade no meio digital através de um tradutor virtual de sites para surdos e deficientes auditivos. Será responsabilidade do Hugo fazer a tradução de textos e imagens para Libras. O plugin também oferece o Leitor de Sites, que realiza a audiodescrição para pessoas cegas ou com dificuldade de visão.

Para Carlos Toledo, diretor de Recursos Humanos da Zurich no Brasil, a iniciativa tem o potencial de mudar a experiência de uma boa parcela da população com a seguradora. “Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem mais de 10 milhões de pessoas com deficiência auditiva, dos quais 2,7 milhões possuem surdez profunda, ou seja, não escutam absolutamente nada. Já entre os deficientes visuais, calcula-se que no país sejam mais de 6,5 milhões de indivíduos com baixa visão ou visão subnormal (grande e permanente dificuldade de enxergar), sendo que mais de meio milhão são cegos. O país ainda conta com cerca de 11 milhões de pessoas não alfabetizadas na língua portuguesa”.

Na avaliação do executivo, a ferramenta será um grande diferencial para todos os públicos mencionados, mas sobretudo para os deficientes auditivos. “Embora o senso comum desconheça, cerca de 80% deles em todo o mundo têm baixa escolaridade e problemas de alfabetização, segundo a WFD (Federação Mundial dos Surdos, na sigla em inglês). No Brasil, a situação não é diferente, já que a grande maioria dessa população não entende o português ou tem dificuldades para ler e escrever – o que inclui, é claro, dificuldades para entender o que está escrito em um website, por exemplo”.

Já segundo Ronaldo Tenório, CEO da Hand Talk, a ferramenta tem mudado a realidade da comunicação das empresas com diversos públicos na sociedade. “Apenas 1% dos sites brasileiros são considerados acessíveis, realidade que consiste em uma verdadeira barreira de comunicação entre as empresas e os milhões de surdos no país. Nosso trabalho consiste em ajudar a derrubar esses muros”, assegura.

A parceria entre a Zurich e a Hand Talk faz parte do Programa de Diversidade & Inclusão da companhia, que, desde 2019, conta com um conselho específico para coordenar de forma centralizada e mais ampla todas as ações de incentivo à diversidade e inclusão, que abrangem iniciativas relacionadas aos temas LGBTQIA+, etnias, gêneros, gerações, diferentes culturas e deficiências.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima