Como está o consumo recorrente no Brasil?

Levantamento indica que 69% dos consumidores gastam mais de R$ 100,00 por mês com assinaturas

0
29
Rodrigo Dantas, co-fundador e CEO da Vindi
Rodrigo Dantas, co-fundador e CEO da Vindi

Feita com base nas respostas de mais de 1.600 participantes, moradores de todas as regiões do Brasil, a pesquisa “Como os brasileiros consomem serviços e produtos recorrentes” da Vindi pretende entender e estudar os perfis de consumo de assinaturas, gastos mensais e preferências, identificando as principais tendências nesse cenário. Dos respondentes, menos de 1% não pagam ou assinam recorrentemente por um único serviço; 23,7% assinam entre 2 e 5; 50,6% pagam entre 6 a 10; e 24,8% assinam mais de 10 serviços. Dos entrevistados, 69%   responderam que gastam mais de R$ 100,00 por mês com assinaturas e, sobre os tipos de produtos ou serviços, 74% os consomem apenas digitalmente, como streaming de músicas e filmes, aplicativos, jogos etc., enquanto 22% assinam serviços digitais e produtos físicos e, apenas 4%, assinam apenas produtos físicos, como ração, cosméticos, vinho, café etc.

De acordo com Rodrigo Dantas, co-fundador e CEO da empresa e coordenador da pesquisa, “o estudo mapeou os tipos de serviços e produtos que os assinantes mais gostam e como eles se relacionam com isso. Quanto pagam, quanto acham que pagam, como enxergam alguns serviços recorrentes e quais as principais preferências em alguns setores”. Dentre as mais de 6 mil empresas clientes da Vindi, as que trabalham com modelo de recorrência cresceram seu volume de vendas em 65% de 2019 para 2020, enquanto que as que não usam esse modelo cresceram 28%. “Um dos principais benefícios de optar pelo modelo de assinaturas é a garantia de uma receita fixa todo mês, semestre ou ano. Com isto, é possível fazer um planejamento financeiro mais seguro, pois o empresário sabe que pode contar com aquela receita e não tem a insegurança de não saber se seus produtos ou serviços serão vendidos ou não”, finaliza.