Financiamento em educação via jornadas digitais

Head da Pravaler expõe os detalhes da estratégia que visa beneficiar 1 milhão de estudantes até 2025

0
37

Consolidada como uma das principais plataformas de soluções financeiras que viabiliza o acesso à educação superior, a Pravaler atravessa o período da pandemia dando conta de dois desafios principais: completar o projeto de rebranding, iniciado em 2019, e que reafirma valores apontando para o futuro proposto pela marca; e, ao mesmo tempo, pavimentando, por meio de jornadas digitais, o caminho para atingir a ambiciosa meta de beneficiar 1 milhão de estudantes até 2025. A fintech de financiamento educacional, que conta hoje com 180 mil alunos em carteira, desenha as estratégias nessa direção ouvindo muito as atuais e próximas gerações, atraindo os jovens ao oferecer conteúdo e trazendo a voz desses clientes para enraizar o relacionamento desde os primeiros insights. Os detalhes dessa transição foram compartilhados, hoje (28), por Paula Cardoso, head de marketing da Pravaler, ao participar da 315ª live da série de entrevistas dos portais ClienteSA e Callcenter.inf.br.

Chamando a atenção, logo de início para os graus de relevância e responsabilidade que compõem o propósito da Pravaler, por contribuir para uma mudança positiva na vida das pessoas por meio da educação, a executiva resumiu o objetivo da organização: a partir da consolidação construída em 20 anos, poder atuar para impactar cada vez mais o futuro dos clientes. Olhando para todo o ecossistema educacional, a fintech se desdobra em como apoiar também instituições de ensino superior com a melhor resposta em termos de soluções financeiras.

“Nosso exercício tem sido o de revisitar o passado e constatar todos os nossos pontos fortes e, paralelamente, verificar como isso permite um futuro de impulsionar ainda mais vidas de jovens e suas famílias em uma boa direção. Em meio a essa análise, surgiu a pandemia e a Pravaler se viu, também, tendo reagir à altura, e com velocidade, às oportunidades que surgiram.”

Na sua avaliação, todo o espectro de consumo de educação no país se transformou, principalmente pela necessidade de acelerar o digital. E isso levou a empresa a se posicionar em termos de se tornar relevante também dentro desse movimento.

Mirando o público atendido pelo carro-chefe da fintech, os estudantes de graduação presencial, com 71% dos alunos situados na faixa etária entre os 18 a 29 anos, desafiam, segundo a head, os esforços de marketing da Pravaler. Principalmente porque, acrescentou ela, as próximas gerações que irão compor essa carteira de clientes serão os de ainda menor média de idade. Ou seja, trata-se de decodificar como essas próximas gerações tendem a se relacionar com a educação e o dinheiro. Contextualizando essa transição, Paula contou que, em 2019, surgiu o momento em que a fintech decidiu por efetuar o link entre o passado que posicionou a marca como líder no segmento e o futuro geracional vislumbrado, partindo, então, para um projeto de rebranding. “Esse momento é sempre quando toda organização mergulha nos seus próprios valores, repensa, a partir deles, a estratégia do negócio conectando com uma análise de que lugar pretende ocupar no ecossistema do setor.” Foi quando surgiu a ambiciosa meta de, partindo dos 180 mil alunos atuais, beneficiar 1 milhão de estudantes até 2025.

Com a recriação da marca, seus propósitos e um leque de novos produtos delineados, Paula foi convidada, por sua experiência de mais de uma década na alavancagem de mercados em desafiadores projetos, incluindo fintechs e startups, a liderar times para as entregas projetadas nas novas estratégias. Chegando à Pravaler em outubro do ano passado, em plena crise sanitária global e seus desdobramentos organizacionais e econômicos, pôde atuar já dentro da transformação digital. “Enfrentamos os novos desafios de como captar e conquistar alunos com jornadas digitais que oferecem novas experiências. E num aprendizado que se consolida em algo que veio para ficar. E parte grande do trabalho é construir um modelo mental que nos una em torno daquilo que nos propusemos a entregar. A cultura que expressa efetivamente uma marca que consegue escalar como solução financeira para a educação a partir de experiências trazidas pela voz do cliente. E isso com muita pesquisa que nos permitiu saber como é a percepção da marca nessa trajetória toda.”

Lidando com uma grande parcela de usuários que são nativos digitais, a Pravaler pode, segundo a executiva, obter os feedbaks de forma instantânea sobre a experiência oferecida. E os desafios estão mais na comparação com as jornadas digitais vivenciadas por esse público em outros segmentos. Uma das principais estratégias reveladas pela head foi a criação de conteúdos consistentes e permanentes no site da empresa, incluindo testes vocacionais, atraindo vestibulandos, os que se preparam para o Enem, proporcionando grande tráfego na plataforma e gerando o relacionamento on-line até chegar em uma proposta de financiamento para futuras contratações pelo digital. Em resumo, os benefícios oferecidos pela fintech permite já um pré-relacionamento, com simulações financeiras e muita informação a partir dos próprios insights dos clientes.

O vídeo com o bate-papo na íntegra está disponível em nosso canal no Youtube, o ClienteSA Play, junto com as outras 314 lives realizadas desde março de 2020. Aproveite para também para se inscrever. A série de entrevistas terá sequência amanhã (29), com a presença de Ricardo Sanfelice, Chief Marketing & Digital Officer do Banco Bari, que abordará a reinvenção do crédito ao banco digital; e, encerrando a semana, o Sextou debaterá a experiência global com insights à inovação em CX, com os convidados Juan Manuel González, Research Director – Information and Communications Technologies da Frost & Sullivan, Paulo Manzato, vice-presidente regional de vendas da Talkdesk para Latam e Luiz Antunes, diretor de solutions consultant da Zendesk para Latam.