iFood torna 100% dos pedidos neutros em emissões de carbono

Foodtech compensa previamente por meio de projetos que, até o fim de 2021, terão preservado uma área equivalente a 125 campos de futebol da Floresta Amazônica

0
10
Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas e soluções sustentáveis do iFood
Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas e soluções sustentáveis do iFood

A partir deste mês, a totalidade das entregas realizadas pelo iFood serão compensadas, antecipadamente, em termos de neutralizar os impactos causados pela emissão de CO2 nas operações de delivery da empresa no país. Os recursos serão investidos em projetos de preservação ambiental da Floresta Amazônica. A informação foi dada por Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas e soluções sustentáveis do iFood, segundo o qual a iniciativa faz parte do iFood Regenera, programa de metas ambientais da empresa, anunciado em março de 2021, e que busca zerar a poluição plástica e neutralizar as emissões de CO2 das operações de delivery até 2025. “Estamos promovendo soluções transformadoras que revertam os impactos socioambientais típicos desse tipo de operação. Queremos devolver para o meio ambiente mais do que consumimos dele, antes mesmo dos produtos chegarem à casa dos clientes.”

Em parceria com a startup ambiental brasileira Moss.Earth, o iFood realizou o inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), somando todos os níveis de emissão, tanto os de responsabilidade direta quanto indireta da empresa. Assim, a organização sabe quanto emite de CO2 em cada entrega e consegue neutralizá-las de antemão. Segundo assegurou o executivo, “a novidade aqui é ser um modelo único, pois, diferentemente de parte das empresas que compensam o carbono já emitido, o iFood antecipa a compensação. Ou seja, sabendo quanto CO2 vai emitir no segundo semestre deste ano, investimos com antecedência na compensação. Isso significa que todas as entregas de agora em diante, mesmo as realizadas por modais tradicionais, como motos a combustão, já estão compensadas. Com essa ação, até o fim de 2021, o iFood terá preservado uma área de aproximadamente 1.250.000 metros quadrados na Floresta Amazônica, equivalente a 125 campos de futebol oficiais”.

Por meio do iFood Regenera, além de compensar as emissões através de projetos de preservação da Floresta Amazônica, a empresa também vem investindo na busca por soluções para reduzir as emissões de CO2 nas suas operações através de modais não poluentes como motos elétricas e o programa iFood Pedal, por exemplo, e regenerar com projetos de preservação ambiental e reflorestamento.