Mobile é prioridade nas empresas

0
1
As empresas brasileiras têm um nível mais elevado de maturidade do que seus pares nos mercados emergentes quando o assunto é a estratégia de mobilidade. Uma pesquisa da Accenture com CIOs no País mostra que  93% concordam ou concordam fortemente que a mobilidade proporcionará novas fontes significativas de receitas.
A pesquisa Accenture 2013-CIO Mobility capítulo Brasil descobriu que 87% dos CIOs entrevistados classificaram a mobilidade como prioridade muito alta ou alta, significativamente mais do que a média global de 76%. Para atender a essa prioridade, 37% indicaram que têm desenvolvido estratégias de mobilidade, em comparação com a média mundial de apenas 23%. CIOs brasileiros dedicam esforços significativos para tornar planos  nesta área realidade, e, como resultado , quase um quarto dos executivos que participaram do estudo declaram que mais de 50% do seu orçamento (2013) previsto de TI seria alocado à mobilidade – mais do que o dobro da média global.
A Accenture realizou a pesquisa com CIOs e outros profissionais de TI (C-levels) para entender se as empresas estão adotando e entendendo a importância da mobilidade, além de identificar as principais prioridades de mobilidade para os profissionais de TI e os obstáculos percebidos para alcançá-los.
Para os brasileiros a motivação para aprender com mercados mais maduros na adoção de mobilidade é clara e apenas 13% dos CIOs brasileiros concordou com 31% dos CIOs mundiais citando a interoperabilidade com os sistemas atuais como uma barreira para a implementação móvel.
“O Brasil amadureceu muito rapidamente – 20% mais CIOs têm uma estratégia para a mobilidade do que na mesma pesquisa do ano passado”, disse Jin Lee, diretor sênior  para Mobilidade na Accenture. Não há dúvida de que o Brasil está à frente de seus pares para tratar das questões organizacionais e orçamentárias da mobilidade, mas ainda há um longo caminho pela frente para, realmente, demonstrar os benefícios da mobilidade através da implementação e das vantagens que os aplicativos podem trazer na  melhoria da produtividade para as empresas”.
Enquanto CIOs brasileiros estão um pouco acima da média mundial em permitir o acesso móvel ao e-mail para os funcionários (um ponto- 73%), por outro lado, os entrevistados estão atrás da média global quando o assunto é acomodar o acesso à aplicativos de negócios como ERP (10 pontos menos que a média de 43%), gestão da cadeia de suprimentos (23% em comparação com 31%) e CRM, onde apenas 23% dos CIOs brasileiros permitem o acesso, enquanto a média global é de 53%.  Exatos 23% dos CIOs brasileiros também disseram que não sabiam como começar a enfrentar as barreiras existentes – o que significa o dobro da média mundial. 
Para Renato Improta, Diretor de Mobilidade para o Brasil na Accenture, o entusiasmo para a mobilidade no Brasil é alto, e o ritmo em que o mercado está amadurecendo é impressionante. “Podemos ver a partir destes resultados que algumas empresas se beneficiariam de uma pausa para identificar onde elas poderiam obter o máximo benefício da implantação móvel”, diz Improta. “É importante garantir que as estratégias de mobilidade são implementadas em alinhamento com os objetivos de negócios para incluir, por exemplo, o acesso móvel a sistemas ERP ou CRM”. Segundo ele, isso permitirá que CIOs ganhem vantagem competitiva para a empresa e demonstrem os benefícios reais de uma estratégia abrangente. 
O Brasil está na frente do palco global e tem a chance de fazer as alterações na infraestrutura que irão acelerar a transformação de empresas digitais em todo o país. É importante que os CIOs entendam o que a mobilidade pode fazer em seus negócios, para que possam aproveitar ao máximo as oportunidades de geração de receita e ganhos de produtividade.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO líder do futuro
Próximo artigoNas redes sociais, vale neologismos