Por que os serviços prestados agregam valor ao produto?

0
0

Quando as organizações estabelecem processos para a seleção de sistemas de gestão empresarial, muitas vezes se deparam com situações nas quais os objetivos que as conduzirão para essa decisão não estão claramente definidos. Seja pela dificuldade em focalizar as necessidades que realmente devem ser resolvidas ou pelo estabelecimento de prioridades que caracterizam o momento pelo qual a empresa está situada no seu mercado.Br>

Os profissionais responsáveis por essas decisões precisam estar preparados para enfrentar um longo e complexo desafio, pois não são somente as funcionalidades dos softwares que nortearão o projeto em direção ao sucesso. Hoje, é indispensável que a busca pelos sistemas de gestão empresarial seja realizada com maior profundidade, afinal a prática dos negócios transcende os limites das organizações rumo à conectividade com clientes, fornecedores e outros parceiros de negócios, consolidando relacionamentos colaborativos pela permeabilidade de processos de negócios entre a comunidade de interesse.

Sendo assim, a implementação dos sistemas é um item fundamental para consolidar um processo estável durante os meses de relacionamento entre a empresa e os implementadores. O impacto que a companhia necessita amortecer na alocação de recursos de todas as naturezas para facilitar essa atividade refletirá, diretamente, sobre a qualidade dos resultados. Uma das grandes preocupações durante a aquisição de sistemas de gestão empresarial está relacionada ao tempo de implantação, seja em termos de calendário ou volume de horas necessárias para realizar tal atividade.

O serviço prestado é um importante valor agregado ao produto, pois influenciará totalmente no sucesso de um projeto e o resultado final poderá se transformar num ativo para as empresas de software, ou seja, uma referência para a continuidade de seus negócios. O desenvolvimento tecnológico nessa área tem evoluído de tal forma a propiciar às empresas um processo mais linear, permitindo maior flexibilidade e ciclos de tempos curtos, gerando um desempenho melhor durante todas as fases metodológicas aplicadas às implementações.

A utilização de templates, modelos de negócios com processos definidos e testados, conduzem a uma implementação mais dinâmica e estável, pois traz em sua bagagem experiências adquiridas com projetos já realizados, interfaces desenvolvidas e amplo conhecimento do negócio em questão, que é fundamental para o relacionamento entre a equipe de sistemas e o core team da empresa.
Depois de passarem alguns meses envolvidos em implementações com foco bem definido, os times se qualificam, permitindo então o desenvolvimento de outros trabalhos dentro do mesmo modelo de negócio com maior efetividade.

A experiência de milhares de projetos reais auxilia a desenvolver procedimentos que asseguram alta qualidade, mesmo quando feitos muito rapidamente. A padronização de ferramentas e processos habilitam as empresas a mapear seus métodos e identificar a melhor maneira de utilizar os componentes. Dessa forma, há um ganho por parte da companhia em termos de horas de consultorias e do aprendizado sobre o segmento do cliente.

Os sistemas baseados em componentes permitem que a implementação seja realizada passo a passo, na velocidade em que sua empresa deseje e possa realizar o processo, seja qual for a limitação de recursos. Desse modo, busca-se trazer resultados tangíveis e no menor espaço de tempo possível. A empresa deve se concentrar em aplicar a solução de acordo com as prioridades definidas no planejamento estratégico e que estejam, de preferência, relacionadas com a essência do negócio, o que chamamos de core business.

José Napolitano é diretor de marketing da IFS