Prevenção de furtos em época de folia

0
9


Carnaval e Páscoa, períodos de pico de movimento no varejo, principalmente supermercados, são os períodos em que a incidência de furtos tende a aumentar nas lojas. Por esse motivo é necessário redobrar a atenção, principalmente com itens de tamanho reduzido e de fácil revenda no mercado paralelo. Segundo levantamento realizado pelo Núcleo de Etiquetagem na Origem (NEO), protetores solares, eletroeletrônicos portáteis, CDs e DVDs, bebidas alcoólicas, pilhas, aparelhos de barbear e cigarros estão entre os produtos mais visados pelos ladrões.

O sistema de Vigilância Eletrônica de Mercadorias (VEM), composto por antenas e etiquetas antifurto, é uma das maneiras mais eficazes de combater furtos, pois não somente inibe a ação de ladrões profissionais como também aumenta a segurança dos produtos, tanto os expostos na loja quanto os armazenados no estoque. Outra forma de proteção utilizando esse mesmo sistema é a etiquetagem na origem. No processo, as etiquetas antifurto são instaladas nas mercadorias durante a produção, embalagem ou distribuição, impedindo que sejam vistas ou retiradas por clientes ou funcionários mal-intencionados. A aplicação prática tem demonstrado que, além da prevenção de perdas, essa técnica é capaz de reduzir também em 20% os custos operacionais.

Outro recurso eficiente é o sistema de Circuito Fechado de TV (CFTV). Dotados de recursos de alta tecnologia, como câmeras de alta resolução que podem ser controladas automaticamente, associadas a gravadores de imagem digitais, permitem que os gestores se transformem em verdadeiros “big brothers”, monitorando tudo o que acontece nas lojas. Outra solução que vem se mostrando ser uma das mais efetivas é o monitoramento remoto, em que as imagens de câmeras instaladas em várias lojas são transmitidas (via Internet) até uma central, onde são armazenadas. Esse sistema oferece três benefícios básicos: aumenta a segurança, reduz custos e agiliza a administração.

De acordo com o especialista em segurança eletrônica da Plastrom Sensormatic, Hailton Santos, os sistemas permitem aos gestores tomarem medidas necessárias para combater os prejuízos. “Cada um destes recursos gera resultados eficientes no combate aos furtos e, quando utilizados de forma integrada, aumentam mais o nível de prevenção de perdas”, diz.

Abaixo cinco medidas simples que podem ser tomadas nas lojas:

– Medir para controlar: criar um relatório em que conste a causa do furto, data e horário da ocorrência, descrição e quantidade do produto. Com o tempo, o varejista passa a ter estatísticas de freqüência, motivo e período dos furtos, permitindo a ele monitorar quais os itens e seções mais visados.

– Câmeras em pontos estratégicos: O uso de Circuito Fechado de TV é um recurso poderoso para inibir ou flagrar pessoas mal intencionadas na loja. Instalar câmeras em pontos estratégicos, como estacionamento, doca de recebimento de mercadorias, estoques, “pontos de sombra” (locais de pouca circulação que podem servir para desova dos furtos) e frente de caixa, pode auxiliar o varejista a prevenir prejuízos.

– Etiquetagem: Verificar se os produtos de alto risco estão protegidos com etiquetas antifurto.

– Cuidado na abordagem: A abordagem ao cliente que provocou o disparo do alarme deve ser sempre feita com cortesia e de forma justificada para não gerar constrangimentos desnecessários ou mesmo prejudicar a imagem da loja.