Principal sonho entre a população negra é empreender

Estudo revela que 96% das pessoas negras têm algum sonho, e 95% têm confiança que vão alcançar todos os seus objetivos

0
152

Empreender e ter o imóvel próprio foram os principais sonhos manifestados entre 2 mil entrevistados, mais da metade deles formada por negros, conforme revela a pesquisa “Potência Preta”, encomendada pela Feira Preta, maior evento de cultura e empreendedorismo negro da América Latina, em parceria com o Instituto Locomotiva. Os dados mostram que 96% dos negros têm orgulho da sua origem e, ainda, 95% têm confiança no seu potencial e capacidade de alcançar objetivos, “o que é um reflexo do efeito sistêmico do empoderamento e da equidade racial”, destacou Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta.

Entender e analisar o potencial e os principais interesses da população negra no Brasil são os principais objetivos da sondagem. Para tanto, foram realizadas entrevistas on-line, entre os dias 23 a 30 de setembro, somando 1.087 entrevistados negros, destes sendo 560 empreendedores, a partir de 18 anos de idade. Falta de condições financeiras é o fator do qual mais se ressente essa população para conseguir atingir seus sonhos. Para jovens negros, além da disponibilidade de dinheiro, 2 em cada 10 afirmam que o aspecto mais relevante é estudar e ampliar seu conhecimento (21%), enquanto apenas 13% têm acesso ao ensino superior.

“Ainda temos poucos dados sobre a população negra no Brasil, e a Feira Preta vem fazendo esse trabalho cuidadoso e essencial de mapear nossa potência como povo, mas também como indivíduos”, ressaltou Adriana, complementando: “Esse é um estudo que aborda hábitos e interesses da sociedade como um todo, tendo em vista que somos a maioria da população. O principal objetivo aqui é mostrar que os interesses e os sonhos da população negra devem ser cada vez mais levados em conta pelo mercado, na educação, emprego, consumo e tecnologia. Somos a força motriz da economia, seja empreendendo ou movimentando trilhões com a compra de produtos e serviços”.

De acordo com a executiva, atualmente, o Brasil tem mais de 28 milhões de trabalhadores por conta própria ou empregadores e, destes, 51% são pessoas negras responsáveis por movimentar mais de R﹩ 288 bilhões por ano. “Só as empreendedoras negras movimentam mais de R﹩ 73 bilhões anualmente. Entre os donos de negócios, 97% se identificam como modernos e inovadores”. Enquanto, no tema consumo, 73% afirmam que as causas e valores apoiados pela marca são importantes na escolha de um produto ou serviço e, segundo o estudo, em 2021, a população negra deverá consumir R﹩ 2 trilhões .

Sonhos e empoderamento
Além do sonho do imóvel e negócio próprios entre a população negra, também se destaca a expectativa de cursar ou concluir a faculdade, independentemente da faixa etária. O levantamento também aponta mudanças significativas em como as pessoas pretas e pardas se reconhecem hoje no Brasil, visto que nos últimos anos o percentual de pessoas que se identificam como negras cresceu nove pontos percentuais.

“A pesquisa nos mostra que, mesmo com toda dificuldade e desigualdade, a população negra tem orgulho de onde veio e está disposta a estudar, empreender e batalhar para conquistar seus sonhos e ocupar lugares que historicamente lhes foram privados. Vale destacar também que a luta antirracista tem proporcionado um aumento da autoestima do povo negro, e esse fator é fundamental para dar confiança aos que pretendem empreender”, comentou Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva.