O canal para quem respira cliente.

Supermercados inteligentes: como a tecnologia está transformando esse varejo

Samuel Mueller, CEO da Scandit

Captura inteligente de dados possibilita oferta omnicanal completa, sem necessidade de uma reforma dispendiosa e demorada da loja

Autor: Samuel Mueller

Os últimos dois anos não foram gentis com os supermercados. Com os desafios às cadeias de suprimentos mais constantes do que excepcionais, a entrega online no mesmo dia crescendo e as mudanças nas expectativas e hábitos dos consumidores devido à pandemia, tornou-se cada vez mais difícil para as lojas atrair e reter clientes fiéis.

Os varejistas sabem que precisam oferecer qualidade, preço e conveniência para o cliente, mas simplesmente capturar o tempo e a atenção dos compradores é um desafio. Quando os varejistas online começam a abrir lojas físicas de rua, os supermercados tradicionais e mercearias independentes devem responder, e uma maneira é apostar seus investimentos em tecnologia.

Os clientes de hoje exigem uma experiência verdadeiramente sem atritos e, enquanto os varejistas estão acordando para a realidade de que a chave para vencer a guerra omnichannel é aproveitar o dispositivo móvel que já está nas mãos dos consumidores, eles precisam pensar cuidadosamente sobre como a tecnologia móvel se encaixa na experiência completa do cliente.

A tecnologia na loja precisa fazer mais do que simplesmente acelerar os pagamentos. Ele precisa fornecer maneiras novas e inovadoras de fazer compras e proporcionar aos clientes uma experiência verdadeiramente memorável que os faça querer voltar uma e outra vez.

Novos conceitos em tecnologia de varejo
Uma das inovações mais recentes são as lojas sem a presença dos caixas, como Amazon, Sainsburys e os recentes outlets da Aldi. Conceitos como esses elevam exponencialmente as expectativas dos consumidores. No entanto, essas lojas emblemáticas exigem remodelações caras, que só funcionam apenas para uma gama limitada de produtos e atendem melhor a uma pequena área. Então, como uma gama mais ampla de varejistas pode adotar essas inovações novas e atraentes no varejo sem atritos?

Felizmente, existe uma maneira simples de obter uma experiência atraente além dos checkouts sem caixa no estilo da Amazon: alavancar o smartphone nas mãos de cada consumidor. Os recursos dos telefones atuais, com realidade aumentada (RA), 5G e câmeras de alta resolução permitem que mercados de todos os portes forneçam experiências de loja excepcionais e altamente personalizadas para seus clientes. A pandemia normalizou o uso de escaneamento com smartphones, pagamentos sem contato e outros recursos móveis, portanto, há pouca necessidade de treinamento específico de clientes para incentivar a adoção.

Por exemplo, com RA integrado em smartphones por mais de uma década, as oportunidades para até mesmo a menor das mercearias tornarem a experiência de estar em suas lojas mais envolvente são infinitas. Usando aplicativos de RA, os clientes podem se beneficiar de uma experiência de compra semelhante à online ao acessar as informações mais recentes do produto, descontos personalizados ou dados nutricionais apenas olhando os itens nas prateleiras via seu smartphone.

Recentemente, num teste bem sucedido nas lojas Nisa, a Scandit permitiu esta implementação. A Nisa abastece mais de 4.000 lojas independentes no Reino Unido com suporte de estoque e varejo para seus parceiros proprietários de lojas e queria encontrar uma maneira criativa de não apenas atender às necessidades legislativas de HFSS (alto teor de gordura, açúcar e sal), mas também de direcionar promoções exclusivas aos clientes destes estabelecimentos, aumentando a fidelização e melhorando a experiência.

O teste de três meses ocorreu em 30 lojas, com mais de 20.000 clientes participantes. Os clientes digitalizaram mais de 82.000 vouchers e promoções com uma taxa de resgate de 80%. O piloto agora será lançado em todo o país.

O uso dessa tecnologia impulsiona relacionamentos fortes e estáveis com os consumidores e os varejistas também se beneficiam de vantagens operacionais: reduzindo a carga administrativa e custosa do ponto de venda (PDV) e incentivos baseados em papel, atendendo aos requisitos regulatórios de HFSS e capturando informações valiosas como dados de uso dos clientes. Esses dados podem ser usados para prever as necessidades de estoque, responder em tempo real às tendências e demonstrar o ROI das ofertas. Com essas informações, os empreendedores podem adaptar ainda mais a experiência na loja às necessidades de seus clientes e criar uma experiência de varejo perfeita e sem atritos. Tudo sem a necessidade de modernizar suas lojas ou investir em uma tecnologia cara.

Negócios de varejo à prova de futuro com captura inteligente de dados
Nos próximos meses, acredito que veremos uma maior fusão dos ambientes on-store (na loja) e online. A tecnologia sem contato continuará a ser integrada às lojas para acelerar pagamentos e o check-out, mas, além disso, os varejistas devem aprimorar seus próprios aplicativos para oferecer aos consumidores a capacidade de obter mais informações sobre os produtos. Eles já realizam verificações de due diligence em produtos – verificando preços ou avaliações, por exemplo – mas ao adicionar uma experiência semelhante à online por meio de um aplicativo de varejo em vez de um mecanismo de pesquisa externo, as saídas podem ser evitadas e uma fidelidade mais profunda do cliente pode crescer.

Por meio dessas interações inteligentes de captura de dados, os clientes podem se envolver com itens do dia a dia, capturando dados de códigos de barras, texto, IDs e objetos. Os varejistas podem personalizar e automatizar a tecnologia, permitindo que os clientes recebam insights em tempo real – por exemplo, fornecendo sobreposições de realidade aumentada com códigos de desconto pessoais.

Os próprios varejistas se beneficiam enormemente da integração da tecnologia móvel em seus próprios fluxos de trabalho. A captura inteligente de dados permite que os funcionários simplifiquem e acelerem as tarefas manuais diárias, como entregas de estoque, coleta de pedidos online e reabastecimento de prateleiras.

A cadeia de suprimentos, as operações e o atendimento ao cliente na loja podem ser revolucionados por meio de aplicativos inteligentes de captura de dados e visão computacional em smartphones. Os empreendedores que usam essas tecnologias podem capacitar seus funcionários, dando-lhes mais tempo para interagir com os clientes, proporcionar uma experiência mais pessoal e aumentar a fidelidade do cliente.

Inovação abrangente para continuar
Todos os varejistas de supermercados, incluindo os menores e independentes, podem adotar a transição para o varejo sem atritos com recursos inteligentes de captura de dados. As lojas check-out free podem ser aproveitadas usando o poder do smartphone do dia-a-dia. A captura inteligente de dados incorporando AR e outras tecnologias em evolução pode fornecer uma oferta omnicanal perfeita, conveniente e completa sem a necessidade de uma reforma dispendiosa e demorada da loja.

Samuel Mueller é CEO da Scandit.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima