TI terá crescimento superior a 30% ao ano

0
0

Pesquisa da Frost&Sullivan, empresa de consultoria e inteligência de mercado, prevê crescimento superior a 30% ao ano nas receitas de tecnologia da informação (TI) até 2008, com ênfase em serviços de hospedagem gerenciada, gerenciamento de rede, armazenamento de dados e segurança de rede. “Embora os fornecedores de TI tenham realizado altos investimentos em infra-estrutura para outsourcing em 2001 e 2002, a demanda ficou aquém do esperado e manteve-se retraída até o ano passado. Porém, as expectativas agora são de que os serviços de outsourcing viabilizem a realização de parte dos investimentos represados nos últimos anos”, afirma Paulo Hoffmann, gerente de pesquisa para América Latina.
A pesquisa releva que setores de hosting e gerenciamento de rede deverão apresentar receitas na América Latina acima de US$ 1 bilhão com crescimento médio anual de 30% cada, nos próximos cinco anos. “As empresas, cada vez mais focadas em seu core business, passaram a terceirizar a área de TI, parcial ou totalmente, deixando-a sob responsabilidade de empresas especializadas no assunto”, diz Hoffmann.
O estudo aponta também que as empresas deverão optar mais pelos serviços de hospedagem gerenciada, uma vez que o menor índice de crescimento no período, de 26% ao ano, é o de housing, que atingirá US$ 282 milhões em 2008. Ao mesmo tempo, as empresas estão mais preocupadas com a integridade dos dados e processos, o que deverá gerar novos investimentos em políticas de segurança de redes.
Embora em 2003 a receita com serviços gerenciados de segurança de rede tenha movimentado apenas US$ 18 milhões, as perspectivas são de atingir US$ 157 milhões em 2008, um aumento de 54% ao ano. Já a recuperação de dados (disaster recovery), outra tecnologia em expansão que garante a seguridade das informações, pode crescer 34% em média, no mesmo período, e obter receitas de US$ 528 milhões.
Deve-se observar que ao adotar novas práticas de TI, as empresas também precisarão expandir sua capacidade de armazenamento de dados, o que justifica a previsão de um aumento de 31% ao ano no volume gerado pelas vendas de storage.
Sobre o mercado nacional, Hoffmann acredita afirma que “o Brasil já possui alta intensidade competitiva e acreditamos que, em poucos anos, muitos dos fornecedores atuais se consolidarão ou estabelecerão parcerias para explorar o mercado com uma força de marketing e vendas mais agressiva”.