Aulas práticas para atrair o consumidor

0
9


Senta, deita, finge de morto para concorrência. Brincadeiras à parte, o número de empresas que estão investindo em “learning centers”, cursos remotos e outras estratégias de fidelização baseadas na educação do consumidor está crescendo exponencialmente em todo o mundo. E não é para menos, pois todo mundo sai ganhando com isso.

Entre as montadoras, a coisa virou uma espécie de febre: temos a Volkswagen AutoStadt Driving Courses, a BMW Performance Driving Schools, a Audi Driving Experience, a Mercedes Driving School, a Porsche Driving Experience, a Landrover Driving School, a Master Maserati North América Driving School e a Ferrari North American Driving School. Sem contar a Rider’Edge, da Harley-Davidson.

Mas a minha preferida vem da Índia. É a Maruti Driving School, lançada pela Maruti Udyog, a maior montadora indiana. Se o problema era mais gente comprando seus carros, a solução foi ensiná-los a dirigir. Literalmente. A MDS é uma grande auto-escola, com o que existe de mais avançado no mundo, inclusive simuladores importados da França. A ênfase é a segurança, pois a Índia tem um dos maiores índices de acidentes de trânsito do mundo. Outra característica tipicamente indiana é a utilização de instrutoras para as alunas do sexo feminino, que representam 50-65% dos alunos. Atualmente, há unidades em três cidades, mas em breve serão instaladas outras unidades em 13 outras cidades.

Outra indústria de olho em um consumidor cada vez mais elusivo é a da fotografia. Os exemplos mais marcantes são a Nikon School, que ensina aos consumidores como tirar o máximo de suas câmeras digitais, e as masterclasses da Kodak’s One Gallery. O caso Kodak vai além dos cursos: a One Gallery apresenta exposições, faz eventos exclusivos e permite a experimentação dos mais recentes produtos e serviços da Kodak.

Outras empresas que sempre acreditaram no conceito de Status Skills são a Apple – em seus Apple’s Workshops, realizados nos Estados Unidos, na Inglaterra, no Canadá e no Japão, os fãs dos produtos da empresa podem participar de workshops gratuitos e diários, divididos em três categorias: “Introductory Presentations”, “Workshops” e “Pro Workshops” – e a Virgin Atlantic Airways, que oferece uma série de cursos sobre os mais variados assuntos – desde uma clínica sobre estilos de óculos de sol a como utilizar melhor o seu Blackberry.

E tem o Google, com sua Google Analytics Conversion University. O Modelo Google como um todo, na verdade, é um grande espaço de exercício de Status Skills. O empresário neófito em publicidade digital é levado praticamente pela mão por caminhos seguros para o seu investimento. Tudo tem tutoriais e “frequently asked questions” e helps, etc. A Conversion University é um passo à frente nisso, pois oferece aos “minipreneurs” a oportunidade de aprender de uma forma bem simples assuntos como otimização de conteúdo, monitoramento e conversão de visitantes, métricas e análises de conversão, integração com mecanismos de busca e outros temas fundamentais.

Em resumo, o Status Skills não é uma moda passageira, é um retrato do futuro, do tipo de relação que teremos, cada vez mais, de construir com os nossos consumidores. Ensinando e aprendendo com eles.

Até a próxima.

Fernando Guimarães é consultor de marketing e comunicação, redator de publicidade e marketing direto, especialista em marketing de relacionamento. Email: [email protected]