O canal para quem respira cliente.

LinkedIn cada vez mais importante no B2B (e Facebook, menos). E mais

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Estudo: LinkedIn é quem leva mais tráfego para websites corporativos; Facebook em declínio?

O primeiro Investis IQ Audience Insight Report, publicado este mês, monitorou os visitantes de sites corporativos a partir de plataformas de mídias sociais. A pesquisa constatou que o LinkedIn impulsiona significativamente mais tráfego para sites corporativos do que todas as outras plataformas sociais combinadas. De acordo com a pesquisa, o LinkedIn é responsável por quase dois terços, 64%, de todas as visitas a sites corporativos a partir de mídias sociais e esse percentual está aumentando firmemente. O Twitter também está ganhando influência, subindo dos 4% em 2011 para 14% hoje, o que reflete o aumento no número de empresas que adotam o Twitter para comunicações corporativas. O Facebook, na direção contrária, diminuiu cerca de cinquenta por cento em dois anos, de 30% para 17%, e os resultados podem indicar que o Facebook é uma plataforma em declínio para o marketing B2B. As visitas a partir do Flickr, YouTube, Google+ e SlideShare são ainda numericamente desprezíveis. LinkedIn, Facebook e Twitter são responsáveis por 95% das visitas a sites corporativos a partir de sites de mídias sociais. O estudo também descobriu que 20% do tráfego de websites corporativos vêm de dispositivos móveis. Portal Abemd (leia também: Seminário DMA2013 no Brasil)

Holandês cria aspirador de poluição do ar

Buscando uma solução para melhorar a qualidade do ar em Pequim, o designer holandês Daan Roosegaarde desenvolveu um aspirador eletrônico capaz de remover a poluição atmosférica. O eficiente dispositivo poderá ser usado nos grandes centros urbanos para melhorar a qualidade de vida e o bem estar das pessoas. O aspirador conta com um sistema composto por bobinas de cobre, que devem ser enterradas numa área aberta. A partir daí, as bobinas “puxam” o material particulado até a parte interna do dispositivo, e o sistema forma um vácuo de ar limpo com extensão de até 190 metros de diâmetro. Depois de ser sugada pelo equipamento, a poluição é descartada, sem causar novos danos ao planeta. CicloVivo

Forrester: é preciso integrar “alertas” em estratégias de CRM e direct

A Forrester Research publicou um novo relatório, denominado “Push Mobile Engagement to the Next Level”. Segundo o estudo, alertas em aplicativos (“push notifications”) são um novo e importante canal para as empresas, pois podem ajudar a aumentar o tráfego, o uso de aplicativos e otimizar as conversões. À medida que o tempo gasto em aplicativos continua a crescer, a importância dos alertas também está crescendo. “Alertas não são necessariamente um substituto para o e-mail, SMS e outras táticas de mensagens diretas”, disse Thomas Husson, vice-presidente e principal analista do grupo de marketing e estratégia de clientes da Forrester, assim como autor do relatório. “[Alertas] oferecem benefícios importantes ao longo desta primeira geração de ferramentas de mensagens móveis, mas são em sua maioria complementar”, disse ele. “No futuro, esperamos ver mais a integração de alertas como componente central de qualquer programa de marketing direto e relacionamento.”

Clubes Brasileiros acumulam R$ 1,8 Bi de prejuízo nos últimos 6 anos

A Pluri Consultoria acaba de publicar um levantamento sobre os resultados financeiros dos clubes Brasileiros ao longo dos últimos 6 anos (2007 a 2012). Segundo o estudo, os 23 clubes de maior faturamento do Brasil tiveram um prejuízo acumulado de R$ 1,8 bilhão de Reais nos últimos 6 anos (2007-12), equivalente a 15% do faturamento Bruto no mesmo período. Além do tamanho dos prejuízos, 98 dos 138 balanços analisados apresentaram perdas, o equivalente a 71% do total. Apenas 5 dos 23 clubes apresentaram lucro nos últimos 6 anos: o Atlético-Pr foi o de melhor resultado, com R$ 118 milhões, seguido pelo Corinthians com R$ 10 milhões,
e o São Paulo com R$ 8 milhões. Por outro lado, 18 clubes tiveram prejuízos no período, liderados por Vasco (-R$ 301 milhões), Fluminense (-R$ 285 milhões) e Botafogo (-R$ 268 milhões). Os 4 clubes cariocas são os campeões em perdas, com um acumulado de R$ 1,04 Bi nos 6 anos. No período, 92% dos seus balanços tiveram perdas, são 22 prejuízos contra apenas 2 balanços no azul. Os 6 clubes paulistas aparecem na sequência com R$ 363 milhões de prejuízo, seguido pelos Mineiros, com R$ 264 milhões no vermelho. O melhor resultado já apresentado por um clube foi do Atlético paranaense em 2012 (superávit de R$ 123 milhões), enquanto que o Vasco teve o maior prejuízo para um único balanço, com R$ 277 milhões em perdas em 2008; Os dois times paranaenses apresentaram resultado positivo de R$ 64 milhões, devido aos R$ 118 milhões de lucro do Atlético-Pr no período. Dos 23 clubes analisados apenas o São Paulo teve lucro em todos os exercícios. O Corinthians vem a seguir com 5 balanços no azul entre os 6 analisados.  O ano de 2012 foi o único em que o somatório dos clubes ficou no azul, em R$ 38 milhões, devido ao forte resultado positivo do Atlético-Pr. Na outra ponta, 2008 foi o pior ano, com déficit acumulado de R$ 473 milhões. Os resultados mostram o total descaso com a boa gestão financeira e evidenciam que qualquer tentativa séria de Fair Play financeiro deve não apenas garantir o pagamento de salários e impostos, mas também limitar os prejuízos crônicos dos clubes, causa principal do enorme endividamento. Fonte: Pluri Consultoria (Para receber o relatório, envie comentário com seu email)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima