Empresa: marketing de futuro

0
18

Muito se tem discutido sobre a relevância do marketing para a empresa competitiva. A grande verdade é que êste tornou-se aliado imprescindível para a sobrevivência e, sobretudo, para a sua lucratividade. O grande equívoco da modernidade é querer olhar para frente pelo ” espelho retrovisor ” – paradigma muito comum em muitos empresários. Uma das múltiplas características da nova cultura empresarial, em mercados globalizados, é ter a empresa a estratégia da inovação, ou seja, competência para adequar-se à evolução do mercado e consumidores, justificada nas profundas transformações do mundo atual, na qual a velocidade do conhecimento humano e tecnológico é irreversível. Para o Profº Luís Marins – ” a única coisa certa é a contínua mudança do mundo em que vivemos “.
Face à realidade acima, compete ao marketing de cada empresa planejar-se, naturalmente, em ” imputs “, que vêm do mercado, consumidores e clientes. Se a empresa não tiver êste foco do futuro, através do seu marketing criativo, certamente, ficará reproduzindo indefinidamente o passado e o não acompanhamento das tecnologias do mundo moderno, segundo o Profº Roberto Shinyashiki, ficará falando sózinha.
De acordo com estudos discutidos por executivos de empresas nos USA e Europa, os consultores da Troiano Consultoria de Marca – Renata Lima e Fernando Jucá elencaram algumas dessas tendências que, certamente, mexem com os negócios da empresa, não importando em que segmentos atuam.
O foco central do marketing de relacionamento da empresa é o cliente – interno, seus colaboradores e Externo – os seus consumidores. A grande verdade é que se quiser a empresa entende-lo, há de mergulhar-se na sua vida : hábitos, comportamento humano, perfil financeiro, social, no que diz, fala e pensa. Contudo, não esquecer a verdade ou axioma – ” os consumidores dizem o que pensam, mas, fazem o que sentem “. Imperioso conviver a empresa com seu cliente, buscando algo para encantá-lo. Pesquisar o cliente é relevante como a melhor forma ou caminho para entender suas necessidades, anseios e bem-estar. Para o Diretor da Troiana Consultoria de Marca – Jaime Troiano – ” use e abuse de contatos com especialistas de gente, isto é, com gente que enxerga o que o consumidor não é capaz de ver “.
A partir desta realidade mercadológica, os produtos e serviços devem estar agregados de características outras identificadas para cada cliente. Este não compra veículos, consórcios, geladeiras, etc., mas, satisfação, auto estima, sonhos, lazer para família, vaidade, comodidade. Portanto, posicionar marcas e produtos para comportamentos e não para pessoas – é o foco central da empresa em mercados globalizados. Cada cliente manifesta comportamentos distintos em situações diferenciadas. Daí, a presença e relevância do marketing, neste processo de aproximação – cliente e empresa.
Além dos parâmetros acima evidenciados, objetos do marketing entre empresa e cliente, enfatizamos, ressalta-se uma outra verdade – ” ninguém compra eletroeletrônico, veículo, sem ouvir a opinião de um terceiro “. Deixou de ser o boca-a-boca de marca uma expectativa da empresa em acontecer e passou a ser um planejamento estratégico ” de sucesso e lucratividade da empresa, estimulando o cliente para tanto.
Como reflexão final, muitas dessas tendências referenciadas já estão acontecendo no dia a dia das empresas. O essencial é encontrar estratégias de marketing para dominá-las. Em suma ” trocar o espelho retrovisor pelo pelo pára-brisas “.

*João Gonçalves Filho (Bosco) – Administrador de Consórcio – [email protected]