Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Inovação bancária

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



Autor: Marcos Crivelaro

 

No inicio da década de 90 foi inserido nos boletos de cobrança o código de barras. Isso permitiu que a compensação fosse realizada de forma eletrônica, sem o trânsito do documento físico pela compensação. Mas o cliente continuou recebendo em casa ou na empresa os boletos em papel que substituem duplicatas, notas promissórias, letras de câmbio, recibos ou cheques.

 

A Febraban – Federação Brasileira de Bancos inovou com o início das operações do Débito Direto Autorizado (DDA), serviço eletrônico de apresentação de boletos, que facilita o controle de contas a pagar. O sistema não possui similares no mundo e, por isso, tem despertado o interesse do setor bancário de outros países. Já no primeiro dia de funcionamento mais de 1 milhão de correntistas já se cadastraram no serviço de DDA.

 

Isso é fruto dos grandes investimentos na área de tecnologia da informação dos bancos brasileiros que atingiram R$ 16,195 bilhões em 2008. Do total, R$ 6,4 bilhões foram aplicados em investimentos tecnológicos. O montante representa 40% dos recursos de TI. Outro número que impressiona é a marca de 32,5 milhões de contas de internet banking, em 2008, um volume de transações de aproximadamente 14 bilhões registradas nos doze meses.

 

Como funcionará: O devedor deverá se cadastrar como sacado eletrônico em um ou mais bancos de seu relacionamento. O cliente solicitará o seu cadastramento em cada banco escolhido. O cadastramento no DDA não significa que as suas contas serão pagas automaticamente. Para que o pagamento seja realizado é necessário que você acesse um dos canais de relacionamento do banco, verifique se há boletos a serem pagos e autorize ou agende o pagamento dos respectivos boletos. Na hipótese de o cliente deixar de ser sacado eletrônico deverá solicitar o cancelamento em todos os bancos nos quais se cadastrou.

 

Vantagens: Rapidez em receber o boleto antes do vencimento. Segurança no pagamento. Baixa possibilidade de fraudes e cobranças indevidas. Redução da emissão de papel e impactos ambientais.

 

Desvantagens: O serviço poderá ser cobrado ou fazer parte de pacotes de serviços tarifados. O consumidor deve ficar atento às datas de vencimento de seus boletos. Imprimir o comprovante em casa pode significar um custo a mais. O sistema é mais atraente para clientes que acessam suas contas via Internet.

 

Quanto custará: É preciso ainda ficar atento ao custo do DDA. Os bancos afirmam que o débito automático não será tarifado. Segundo a Febraban, a maior parte dos bancos não cobrará tarifa dos correntistas que optarem por esse pagamento, mas é possível que o serviço tenha um custo para as empresas geradoras do boleto. De acordo com o Banco Central, não há regras específicas para o DDA, que segue a regulamentação geral das tarifas. Os bancos estão livres para fixar preços, desde que os valores sejam informados claramente ao consumidor.

 

Marcos Crivelaro é professor PhD da Fiap e da Faculdade Módulo, especialista em matemática financeira e consultor em finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima