SAP e Neoris juntas na execução de logística e manufatura

0
2


A integração dos processos de manufatura aos sistemas corporativos ainda é um grande desafio para diversas corporações no Brasil. O grande desafio competitivo almejado por essas empresas, que já possuem processos de negócios bem integrados no nível corporativo, é poder agora realizar a integração dos processos produtivos com o ambiente de negócios, para maximizar a utilização dos ativos industriais existentes e dar maior visibilidade sobre o que está acontecendo em todas as unidades produtivas em tempo real. Isso requer, além de uma plataforma tecnológica moderna, integrada e flexível, uma visão estratégica de negócios para o acompanhamento adequado das operações em termos de produtividade, eficiência e qualidade.

Para ajudar as corporações a enfrentar esse desafio, a SAP, desenvolvedora de soluções de gerenciamento de negócios, e a Neoris, empresa global de consultoria de TI, assinaram um acordo, recentemente, para trabalharem em conjunto no fornecimento de uma solução completa especialmente voltada para Logística e Manufatura em toda a América Latina. Os diferenciais dessa solução, baseada na plataforma SAP-xMIIT (Manufacturing Integration and Intelligence), serão mostrados pela Neoris no “X Seminário de Automação de Processos”, evento promovido pela Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais (ABM), entre os dias 4 e 6 de outubro, em Belo Horizonte. Na oportunidade, a consultoria de TI compartilhará com as empresas do setor a experiência no desenvolvimento de soluções para a gestão de Manufatura e Logística, assim como a sólida prática na execução de sistemas industriais.

“Hoje a Neoris é a única empresa de consultoria no Brasil com expertise no desenvolvimento de soluções tecnológicas capazes de dar visibilidade ao mundo da fábrica ao interligá-lo ao mundo de negócios”, afirma Omar Tabach, country-manager da Neoris Brasil. Para Jorge Mottecy, diretor de negócios da Neoris, que atua na área de MES (Manufacturing Execution Systems), “muitas companhias dos setores de base, no Brasil, ainda são carentes de recursos de tecnologia que realmente desempenhem o papel de canal de comunicação direto, e sendo assim extremamente estratégico, entre a produção e os executivos de negócios. Ainda há muito espaço para avançar, e essa já é a nova onda de investimentos no setor”.